/Guilherme Baptista/FN

Em duas ocasiões, na noite de ontem, terça-feira, por volta de 22h, e na manhã de hoje, quarta, em torno de 10h, peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP), de Porto Alegre, estiveram no local onde um incêndio destruiu uma residência e acabou tirando a vida de um idoso de 80 anos.

Alcides Saturno morreu carbonizado no incêndio em sua casa /Reprodução/FN

Alcides Saturno morava sozinho numa pequena casa de madeira de três peças de uma propriedade na área do assentamento dos trabalhadores rurais sem terra, no bairro Zootecnia, perto do campus da Unisc, em Montenegro. Apesar da idade avançada, gostava de capinar e mantinha todo o pomar e a horta limpos. Inclusive na terça-feira tinha passado o dia capinando. Cansado, foi deitar cedo no final da tarde. Foi quando ocorreu o incêndio, por volta de 18h30.

Provavelmente Alcides estava dormindo no quarto quando começou o fogo que logo se alastrou por toda a casa. A suspeita é de que ainda tenha tentado sair pela porta, mas provavelmente desmaiou ao inalar fumaça e acabou morrendo carbonizado. Vizinhos tentaram socorrê-lo, mas o fogo era muito intenso e já tinha tomado conta de toda a moradia. Os bombeiros foram chamados e apagaram as chamas. Os restos mortais de Alcides foram encontrados junto à porta.

O local foi isolado pela Brigada Militar para a realização da perícia e os restos mortais foram encaminhados para necropsia do Instituto Médico Legal (IML). O sepultamento ainda depende da identificação oficial, provavelmente através de exame de DNA. Ainda não se sabe ao certo a causa do sinistro. Chegou-se a suspeitar de que tenha deixado um cigarro aceso sobre o colchão ou poderia ser de alguma fagulha do fogão a lenha. Mas vizinhos acreditam que também pode ter sido de vazamento do botijão de gás ou um curto-circuito. Somente a perícia poderá esclarecer.

Natural de Nonoai, Alcides morou em diversas cidades. Teve dois filhos – um casal de gêmeos que reside próximo da casa do pai. Fazia 17 anos que morava na pequena moradia da propriedade de um ex-enteado para o qual ajudava no cultivo de citrus. Conforme familiares e vizinhos, estava bem de saúde. Tanto que ainda trabalhava na agricultura. Deitava e acordava cedo. Era muito dedicado. Segundo os conhecidos, adorava capinar.

Deixe seu comentário