Cezário Rodrigues da Silva, o “Teia", fez denúncia na Delegacia de Polícia - Reprodução/FN

Rosa Maria Flores da Silva entrou em contato com o Fato Novo para denunciar que carroceiros de São Sebastião do Caí estão sendo alvos de perseguição e difamações. Ela inclusive cita que um dos carroceiros, Cezário Rodrigues da Silva, o “Teia”,de 59 anos, esteve nesta quarta-feira na Delegacia de Polícia para registrar ocorrência de injúria e difamação. Cezário relatou que na tarde de ontem, terça-feira, dia 29, na Rua Omiro Ledur, foi injuriado por uma mulher por estar levando carga em sua carroça tracionada por um cavalo.

Carroceiros garantem que seus cavalos são bem cuidados
– Reprodução/FN

Morador do bairro Navegantes, diz que tomou conhecimento que sua imagem, conduzindo a carroça, foi publicada no facebook, da internet, como se estivesse cometendo um abuso. Solicitou instauração de termo circunstanciado (TC) e foi orientado acerca da natureza da ação penal e da necessidade de ajuizamento de queixa-crime em caso de seu interesse.

Carroceiros alegam que estão sendo ofendidos
– Reprodução/FN

Rosa Maria diz que outros carroceiros, que também dependem de seus cavalos para sustentar suas famílias, também relataram ter ouvido xingamentos quando precisam buscar os materiais de reciclagem. Eles fizeram questão de mostrar, através de fotos, como seus cavalos estão sendo bem cuidados. “Os carroceiros não estão cometendo nenhum crime. A lei permite que trabalhem. O crime que tem é contra a honra dos carroceiros”, afirma Rosa Maria. Ela diz que as ofensas aumentaram desde a votação do projeto de proibição de carroças, na Câmara de Vereadores, o qual acabou sendo rejeitado. Com isso, as carroças continuam sendo permitidas.

Casos de abusos e crueldade contra animais podem ser enquadrados como maus-tratos, o que é considerado crime. Pode ser enquadrada na Lei de Crimes Ambientais.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here