Policial Alexandre Machado tinha sido atingido no mesmo tiroteio em que morreu um colega - Reprodução/FN

Ainda existe a preocupação com relação ao estado de saúde do policial civil Alexandre Machado, que sobreviveu ao tiroteio entre policiais e suspeito de abigeato na última terça-feira em Montenegro.

Conforme informações, ele foi removido para o Hospital Nossa Senhora das Graças, em Canoas, onde chegou a ficar em coma induzido. Isso causou certa preocupação. Foi sedado para exame de endoscopia no esôfago. Mas conforme informações de colegas, não corre risco de vida. Hoje, quinta-feira, já não estava mais em coma induzido e reagia bem. O exame apontou que estava tudo bem e vem progredindo.

Machado foi atingido no ombro e rosto por disparo de uma espingarda calibre 12. Após ser internado no Hospital Montenegro, foi removido para Canoas.

Machado é do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), de Porto Alegre, ao qual também pertencia o policial civil Edler Gomes dos Santos, de 54 anos, que morreu no tiroteio e foi sepultado ontem pela manhã na capital gaúcha. No tiroteio também morreu o acusado de efetuar os disparos contra os policiais, Claudio Roberto Nardi, de 59 anos, morador da casa na localidade de Potreiro Grande, onde a Polícia foi cumprir mandado de busca e apreensão durante a operação de combate a crimes rurais, principalmente furto de gado (abigeato).

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here