Nunca na história da humanidade estivemos com níveis tão baixos no nosso sistema imunológico de defesa. A heliofobia se instalou no planeta terra de forma permanente. Sabe-se que o Criador é mais sábio do que qualquer medicina.

O protetor solar é excelente para prevenir queimaduras de pele, mas o uso indevido do filtro solar, além de provocar uma baixa acentuada da imunidade não permite a formação de vitamina D3, por ser esta via a fonte natural desta vitamina. Inúmeras doenças autoimunes poderiam ser controladas se o sistema imunológico de defesa estivesse normal. Asma,alergias, autismo, alzheimer, esclerose múltipla, cânceres de mama, próstata e cólon, câncer de pele, doenças cardíacas e mentais, resfriados, gripes, doença de crohn, diabetes, infertilidade e infecções por super bactérias entre outras, muito se beneficiaram com a imunidade correta, estando em torno de 100ng/ml de vitamina D3. Essa dosagem deve ser feita pela forma ativa de vitamina D3, 25 hidroxivit D3.

Em vários países europeus está ocorrendo a segunda onda da Covid-19 e todos que estiverem com a vitamina D3 abaixo de 20 nanogramas/ml irão adquirir a doença e, alguns, até falecer se estiverem com alguma comorbidade. Ondas sucessivas da Covid-19 se repetirão ao longo dos anos.

A dose de ataque hoje é de 600.000UI de vitamina D3, não ocorrendo nenhum efeito colateral. A dose de manutenção seria de 10.000UI até 20.000UI por dia dependendo do peso da pessoa.

Para as crianças até 50kg de peso a dose deve proporcionalmente menor, de acordo com o peso da criança.

Retorno a frisar, nesta dose de ataque e de manutenção não ocorre nenhum efeito colateral. A medicina terá que rever esse conceito relativo à vitamina D3. A dose que poderia ser tóxica seria acima de 240ng/ml, abaixo deste valor não ocorrem efeitos colaterais.

Inúmeras indústrias de nossa região realizaram a dose de ataque e de manutenção sem nenhum efeito colateral.

A indústria química farmacêutica tem enorme interesse financeiro para vender medicações para tratamento de doenças autoimunes.

A liberação das crianças e professores nas salas de aula, ambas presenciais deveriam ser efetuadas quando fosse feita a correção desta deficiência de vitamina D3 em todos os alunos e professores. Todos os médicos que atendem pacientes com a Covid-19 deveriam tomar dose de ataque e de manutenção de acordo com o protocolo Coimbra para reposição da vitamina D3, e com isso conservariam a imunidade saudável.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here