Em 1985 Bernard Bihari, um médico com prática clínica em Nova York descobriu os efeitos de uma dose muito menor de naltrexona (aproximadamente 3mg uma vez ao dia) para aumentar o sistema imunológico do corpo. Ele descobriu que essa dose baixa, tomada na hora de dormir, era capaz de melhorar a resposta do paciente à infecção pelo HIV, o vírus que causa a AIDS e inúmeras outras viroses.

Em meados da década de 1990, o Dr. Bihari descobriu que pacientes com câncer (como linfoma ou câncer de pâncreas) poderiam se beneficiar, em alguns casos, drasticamente, com o uso da LDN (da sigla inglesa, Low Dose Naltrexone). Além disso, pessoas que tiveram a doença autoimune (como o lúpus) muitas vezes mostraram controle imediato da atividade da doença enquanto tomavam LDN.

Um grupo de estudos passaram a medir a imunidade e foram baixando a dosagem da naltrexona. Ao chegar em 50mg por dia essa substância protegia para a não instalação do delírio tremens em pacientes alcoólatras. Quando chegaram abaixo de 5mg por dia desse medicamento notaram que essa substância aumentava a imunidade protegendo contra viroses e bactérias patogênicas. Havia uma nova descoberta cientifica que protegia a imunidade celular, doenças auto-imunes, sistema nervoso central e pessoas que enfrentam o câncer mortal. No mundo em desenvolvimento LDN poderia fornecer a primeira terapia de baixo custo, fácil de administrar e livre de efeitos colaterais  para HIV/AIDS. Estamos passando por uma pandemia do Corona vírus, levando ao óbito inúmeros chineses, embora a taxa de mortalidade seja muito baixa, menos de 2% dos pacientes infectados pelo vírus. Enquanto se aguarda o descobrimento de uma vacina para se proteger dessa doença, inúmeros outros vírus respiratórios estão presentes em nosso meio, em especial nos meses de inverno, e levando a mortalidade de inúmeras viroses respiratórias.

Aumentar a imunidade é a recomendação médica para proteção dessas viroses e a LDN em doses baixas, deve ser indicado para todas as pessoas no hemisfério sul. Infelizmente a ANVISA no Brasil associou essa substância com a sibutramina, droga utilizada para emagrecimento, exigindo com isso o receituário especial para se obter esse opiáceo. A dosagem ideal para aumentar a imunidade é de 4,5mg do cloridrato de naltrexona, devendo ser utilizada após as 21 horas, quando ocorre grande produção de anticorpos. Inúmeras viroses e agentes bacterianos são naturalmente combatidos aumentando a imunidade do organismo e fazendo a prevenção para diminuir o contagio. Lavar as mãos freqüentemente passa ser uma necessidade existencial. Aqui no sul, o hábito de tomar chimarrão com amigos passa ser evitado como mais uma forma de contagio viral.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here