A grande polêmica

O pouco reconhecimento das virtudes da coenzima Q10 talvez seja um dos maiores enganos da medicina atual, especialmente na área da cardiologia.

Todas as células do corpo humano necessitam da coenzima Q10, muito especialmente o fígado e o coração, como fonte energética.

A coenzima Q10 é também identificada como uma Ubiquinona, dita a centelha da vida, por participar do ciclo energético de Krebs, sendo vital para a vida celular, em especial para as células cardíacas. É encontrado em cada célula e é semelhante a uma vitamina, tendo funções muito parecidas.

Entre as múltiplas propriedades desta coenzima, ela ajuda a criar energia a partir de combustíveis (alimentos) no corpo humano, exatamente como uma vela de ignição cria energia a partir do combustível (gasolina) num automóvel.

A coenzima Q10 tem capacidade de aumentar a produção pelo corpo de energia ATP (Adenosin Trifosfato) apelidado como a “molécula de energia”. O corpo humano não funciona sem a coenzima Q10. A coenzima Q10 está na mitocôndria que é a central de comando para a produção da energia celular (ATP).

O coração e o fígado são os dois órgãos onde há a maior concentração de coenzima Q10, não por coincidência, mas pelas múltiplas funções que estes órgãos exercem. Estes órgãos nunca dormem e nem tiram férias. São órgãos mais ativos em termos moleculares. Dependem muito do poder de guardar energia da CoQ10 (coenzima Q10). Uma deficiência de CoQ10 afeta seu coração tanto quanto uma deficiência de cálcio afetaria seus ossos. À medida que se envelhece passamos a produzir menos CoQ10, por isso torna-se necessário fazer a sua suplementação, para se atingir uma longevidade existencial.

A coenzima Q10 presente nos alimentos (coração e fígado) é desativada pelo calor, no processo de aquecimento na preparação dos alimentos, por isso tanta carência.

Um dos maiores problemas das estatinas (medicação usada para baixar o colesterol) está no fato de que elas causam uma depleção significativa dos níveis de CoQ10.

A mesma via que produz o colesterol (a via do mevalonato) também produz a CoQ10, de modo que, quando você  bloqueia essa via praticamente em seu ponto de partida, você não só reduz a capacidade do corpo de produzir o colesterol, que é o nosso bombeiro na hora do incêndio, mas tambem interfere em sua capacidade de produzir a CoQ10,

Se voce esta tomando estatinas (para baixar o colesterol) precisa fazer a suplementação de CoQ10, para evitar a depleção desta importante coenzima energética. Isto está indicado para todas as pessoas que correm risco cardiovascular.

O uso rotineiro das Estatinas “pode” provocar PERDA DE MEMÓRIA TRANSITÓRIA, IMPOTÊNCIA SEXUAL e GRAVE DEPLEÇÃO DE COENZIMA CoQ10, entre outros significativos efeitos colaterais. Estes são importantes pontos de reflexão que devemos fazer no tratamento continuo através das estatinas para se ter longevidade existencial.

Segundo o professor Dr. Steffen Sinatra e Jonny Bowdem, cardiologistas americanos, explicam por que a diminuição do seu colesterol não reduz o risco de doenças cardíacas no seu esclarecedor e conflituoso livro “O MITO DO COLESTEROL” onde reflete que provavelmente fomos  “doutrinados” a receitar “estatinas” para redução do colesterol,em um grande interesse comercial. Apesar de inúmeras reticências da moderna ciência, a esta medicação em uso continuo. Cada profissional médico deve fazer uma reflexão sobre os efeitos adversos das estatinas, levando em consideração o risco e os benefícios do uso contínuo desta química medicamentosa, visando o bem estar dos pacientes.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here