Muito se comenta no mundo da fruticultura o grande problema que os fruticultores estão enfrentando com o severo ataque de moscas-das-frutas, e na citricultura não é diferente, em especial nas variedades de laranjas e por surpresa hoje estão atacando nossas famosas
bergamotas e ou tangerinas em geral.

De uma forma inesperada, até por falta de conhecimento o citricultor é muitas vezes colhido de surpresa quando chega em seu pomar para colheita ou outro manejo necessário se depara com frutas no chão, ou ainda na planta infectada por mosca. Lastimável ainda quanto o consumidor ao partir a laranja para fazer um belo e saudável suco encontra algum objeto estranho em seu interior (verme).

Algumas explicações em pesquisas estão sendo buscadas de por que desta praga estar atacando em qualquer época e clima do ano. Anteriormente existiam teorias de que abaixo de 25º a mosca não atacavam as frutas, mas hoje isso não acontece mais e pega o  rodutor de surpresa, sendo ainda considerada uma importante praga da fruticultura.

As espécies de moscas-das-frutas de importância econômica no Brasil, pertencem a quatro gêneros. Os gêneros Bractocera e Ceratitis, estão representados por única espécie no Brasil. O conhecimento das espécies de moscas de importância econômica em determinada
área só pode ser obtido com base em levantamentos intensivos diretamente dos frutos hospedeiros. Pesquisadores afirmam que não são conhecidos os hospedeiros para 53 das espécies brasileiras de Anastrepha ou 53% das espécies, tendo em vista que os evantamentos são realizados principalmente com atrativos alimentares em frascos
caça-moscas.

A existência de uma grande diversidade de hospedeiros, com frutos amadurecidos em diferentes estágios do ano, mantém alta a densidade de mosca-das-frutas. Este fenômeno conhecido como sucessão hospedeira, constitui-se no principal meio de desenvolvimento das populações de Tefritídeos em alguns estados do Brasil, principalmente onde a existência de diversos ciclos de frutificação de um mesmohospedeiro ao longo do ano a exemplo da goiaba, nêsperas e citros. Do ponto de vista agrícola, em programas de manejo integrado depragas e ou programas de controle biológico a primeira ação é a identificação correta da praga e seus inimigos naturais, através de coleta em frascos caça-moscas com atrativos a base de proteínas hidrolisada. As moscas-das-frutas completam o desenvolvimento através de quatro estágios: ovo, larva, pupa e adulto, sendo seu ciclo de vida dependendo de vários fatores, principalmente de temperatura mais elevadas, da planta hospedeira e da própria espécie de mosca, ocorrendo este ciclo de vida em três ambientes diferentes: os adultos vivem na vegetação, ovos e larvas vivem nos frutos, e a pupa no solo, podendo variar de 18 a 35 dias dependendo da espécie.

Os danos desta praga são causados pelo fêmea adulta e pela larva, unicamente nos frutos. A fêmea através da oviposição e mesmo sem depositar os ovos, causa um dano irreversível em alguns frutos, os quais podem causar manchas escuras na epiderme. O dano principal
é produzido pela ação das larvas, que se alimentam da polpa e pelos agentes patogênicos que atuam em consequência da lesão nos tecidos dos frutos.

Então diante das características acima descritas, é necessário atenção e um programa geral de controle, pois é de suma importância detectar o momento exato do início do ataque das mesmas, pois a eficácia no controle está fundamentado na integração de vários métodos,
devido às características desse grupo de pragas, como: a alta taxa defecundidade, elevada percentagem de fertilidade, alta capacidade dedispersão de adultos e facilidade de colonização sob diferentes condições ecológicas e climáticas. O conjunto desses atributos promove asmoscas-das-frutas ao status de pragas-chave e de importância quarentenária.

Deixe seu comentário