Num pequeno vilarejo nos Alpes Italianos, era realizada uma festa anual para
comemorar o sucesso da colheita de uvas, pois naquele local a comunidade se
dedicava ao cultivo de uvas para produção de vinho. Segundo a tradição, cada
morador do vilarejo deveria levar uma garrafa do seu melhor vinho para colocar
dentro de um grande barril, localizado na praça central. Então um dos moradores
teve a ideia de levar uma garrafa de água em vez do seu melhor vinho, pois segun-
do seu raciocínio, com tanto vinho trazido pelos outros moradores, o vinho dele não
iria fazer falta. No auge da festa, todos os moradores deveriam pegar uma caneca
para então degustar o vinho que estava no grande barril. Quando foi aberta a tor-
neira do barril para que começassem a degustação, verificaram que em vez de
vinho, começou a sair água. Um silêncio tomou conta da multidão, pois de onde
era para sair um vinho cuja fama se estendia além das fronteiras do país, saía
somente água, pois este era o único líquido que havia dentro do barril. Então todos per-
ceberam que haviam pensado da mesma forma, tendo a ideia de que a ausência da sua
parte não faria falta, levando apenas água no lugar do vinho.

Outra reflexão de um velho sábio, conta que estava acontecendo um incêndio numa
floresta. Os animais corriam em direção ao rio para tentar se proteger do fogo, que con-
sumia tudo. Então os bichos que estavam se protegendo do fogo, avistaram um beija-flor
que enchia seu biquinho com água do rio e corria em direção ao foco do incêndio para
soltar as gotas de água. O leão então perguntou ao pássaro se ele achava mesmo que
iria conseguir apagar o incêndio com aquelas gotas e ele respondeu que estava fazen-
do a sua parte.

Assim vemos que, se todos pensarem que não precisam fazer a sua parte, deixando tudo
para os outros fazerem, não teremos um mundo melhor. Por outro lado, se cada um contri-
buir com o que pode, fazendo sua parte em todos os aspectos, teremos um lugar melhor
para viver, com mais qualidade de vida.

Deixe seu comentário