Os desenhos animados da Turma do Snoopy, cujos personagens foram criados por Charles Monroe Schulz, sempre trazem mensagens importantes. O episódio “Felicidade é um Cobertor Quente, Charlie Brown”, lançado pela Warner Home Video em 2011, traz uma grande lição: O longa metragem mostra a incapacidade do personagem Linus deixar seu cobertor. Ele está sempre acompanhado dele, o qual faz com que o menino se sinta seguro. Então o personagem descobre que sua avó está vindo para uma visita com objetivo principal de fazer ele se livrar do cobertor. Sua turma de amigos tenta ajudá-lo a se livrar da “muleta” que usa para se sentir seguro. Enquanto o cachorro Snoopy fica agitado querendo o cobertor para si, a personagem Lucy, ansiosa, tenta ajudar Linus com suas técnicas psiquiátricas. Após muitas tentativas, dificuldades, e pressão de todos os seus amigos para ele conseguir viver sem seu cobertor, ele afirma que não consegue ficar sem aquilo que lhe faz sentir seguro, e que todo mundo tem seu próprio tipo de necessidade ou mania para se sentir melhor. Então ele pergunta a seus amigos se algum deles é seguro e quem deles não precisa de algo ou de alguém para se sentir assim. Faz os amigos refletirem sobre o fato de que cada um deles também tem suas próprias manias, como tocar piano o tempo todo, ser obcecado por alguém, não gostar de tomar banho ou ser excessivamente romântico. Ao conversar com sua avó, ele explica que não quer ficar sem seu cobertor por ser uma necessidade dele, e diz a ela que o fato de ele precisar do cobertor é semelhante ao fato de ela precisar tomar doze xícaras de café. Ele então ficou com seu cobertor.

Esse spoiler da obra mostra que todo ser humano pode ter seus medos, inseguranças, temores, necessidades e manias, que precisam ser respeitadas e compreendidas. Muitas vezes algumas pessoas julgam outras por terem certas dificuldades, enquanto não olham para si mesmas e não são capazes de reconhecer que também têm suas fraquezas.

Deixe seu comentário