Crédito: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Em jogo de pouca inspiração dentro de campo e comportamento destemperado nas arquibancadas, restou ao Grêmio comemorar os três pontos obtidos no apagar das luzes do Centenário, diante do Fortaleza de Rogério Ceni. O resultado, ao menos, tira o time da zona da degola nesse momento.

A aposta gremista é forte no período de parada por conta da Copa América. Importante, claro, para a recuperação de jogadores lesionados e em más condições físicas e técnicas, caso de Luan. Renato precisa usar bem esse tempo para buscar evoluções táticas, novidades que possam surpreender os adversários do Tricolor na sequência da temporada.

Neste meio de semana, o Grêmio irá encarar o Botafogo, no Rio. Desacreditado no início da competição, o time da estrela solitária teve uma boa arrancada e ocupa posição muito interessante na tabela. É uma parada dura, mas um bom resultado é fundamental para os gremistas espantarem de vez as preocupações que pairam sobre a Arena.

Um resultado a ser muito lamentado

A história e a tradição do Vasco merecem muito respeito. O time atual, não. Inaceitável a derrota do Inter em São Januário, jogo em que o conjunto de Odair, digamos, atuou somente nos 45 minutos finais.

O primeiro tempo colorado foi apático, sonolento, de um respeito exagerado dispensado a um adversário muito fraco. Já havia acontecido algo parecido no confronto anterior, contra o Avaí. Ou seja, não foi um acaso.

O desempenho do Inter como visitante é pífio e não pode ser atenuado pelos resultados obtidos na Libertadores até aqui, com exceção da atuação contra o River Plate. Os jogadores, óbvio, tem grande responsabilidade nisso, mas o treinador colorado vem sendo cobrado, e com razão, pelo abuso da cautela na condição de visitante e também por algumas de suas preferências.

Sem empolgação

Começa, nesta sexta, a Copa América no Brasil. O país não recebia a competição desde 1989. Mas, até o momento, não se nota grande empolgação em torno da disputa, tanto que há ingressos à venda, ainda, para boa parte dos confrontos.

Não há mais aquela grande mobilização da torcida brasileira em torno da seleção. Falta empatia, carisma, identificação. Talvez com o início dos jogos cresça a atenção em torno do tradicional torneio, mas não sei não.

Paralelamente, cresce a atenção da mídia em relação às atividades da Seleção Feminina, envolvida com a disputa da Copa do Mundo na França. Já era tempo. As gurias, que começaram muito bem a sua participação, merecem muito.

Melhor para o Grêmio

O Bahia vive um bom momento sob o comando de Roger, sim. Mas ninguém iria preferir enfrentar o Palmeiras aos baianos. Ou seja, o sorteio dos confrontos das quartas de final da Copa do Brasil ficou mais em conta para o Grêmio. Para o Inter, sobrou o adversário, em tese, mais forte que poderia encontrar na competição.

Aliás, Gre-Nal, na competição, só numa eventual final.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here