Crédito: Ricardo Duarte/Site do Inter

            O Grêmio chegou a pontuar, mas, na prática, teve um resultado tão pífio quanto o do Inter. A dupla tropeçou em momento, absolutamente, inoportuno no Brasileirão, onde o Palmeiras começa a abrir caminho rumo ao título.        Terrível a atuação colorada, no Recife, contra o sofrível time do Sport. E Um resultado a ser lamentado em todos os sentidos. O time de Odair Hellmann jogou, absolutamente, nada. É assustadora a queda técnica de alguns jogadores do time, sobretudo, Patrick. Ficou claro que o que aconteceu em Chapecó, há alguns dias, não foi acidente de percurso. Parece que os próprios jogadores colorados não acreditam em sua capacidade de lutar pelo título.

Os gremistas tinham um cenário muito favorável desenhado. Poderiam passar o eterno rival na classificação, isso após chegarem a estar com oito pontos de desvantagem. A festa estava preparada na Arena. Do outro lado, também um adversário fraco. Mas o Bahia, do ótimo Zé Raphael, surpreendeu e abriu dois gols de vantagem. No apagar das luzes, no abafa e também com arbitragem polêmica, veio o empate, que manteve o Grêmio na quinta colocação, agora a cinco pontos do líder.

Justamente, na próxima rodada, o Tricolor terá pela frente o Palmeiras, na capital paulista. Uma prova definitiva para as ambições do time de Renato na disputa nacional. E, quem sabe, uma prévia do que poderá acontecer mais à frente, na Libertadores.

O Inter vai para uma sequência de dois jogos no Beira-Rio. Ou melhor, duas decisões, ao menos para os colorados que ainda acreditam no título. A primeira delas contra o São Paulo, que, como o Colorado, parece perder o gás na aproximação da reta final da competição. É vencer ou vencer.

 

Semifinal pesadíssima

            Que grandes encontros serão esses entre Grêmio e River e entre Palmeiras e Boca, na Libertadores. É muita história envolvida. Semifinais das mais representativas em todas as edições da competição.

Parada complicadíssima a do Tricolor. O River vem num grande momento e Renato, possivelmente, tenha o desfalque de Everton. Como escrevi na coluna anterior, vai ter que ser com Luan para resolver a bronca. É a carta da vez.

Deixe seu comentário