Crédito: Site do Inter

Nada acontece por acaso. Não foi acidental a nova derrota do Inter para o Athlético Paranaense, que custou o adiamento do sonho do bicampeonato na Copa do Brasil. Erros de avaliação, tática equivocada e fracassos individuais derrubaram os colorados.

Os paranaenses, pelo caminho que percorreram até o título, são campeões incontestáveis. Agora, ninguém em sã consciência acredita que o rubro-negro de Curitiba seja superior a Flamengo, Grêmio e ao próprio Inter. Tem algumas joias, como Bruno Guimarães e Rony, e um excelente treinador. Ah! E teve muita vontade de vencer a competição.

Sobre o jogo no Beira-Rio, que recebeu mais de 50 mil torcedores, esse teve tempos distintos. Nos primeiros 45 minutos, ainda que tenha saído perdendo, o Inter foi superior e não construiu vantagem por detalhe. Na etapa complementar, a partir de uma escolha desastrosa de Odair, que sacou o irregular Patrick por Sobis, o time ofereceu seu meio-campo de presente para o adversário e afundou.

Não bastasse o desequilíbrio causado na estrutura do time, jogadores de qualidade indiscutível, como Edenílson, tiveram atuações apagadas. E D’Alessandro fez uma tremenda falta. O Inter esteve acéfalo em campo.

Brasileirão no returno

O Flamengo segue liderando com folga e autoridade o Brasileirão. Não tem cara de quem vai entregar a rapadura. Mas ainda há muito chão pela frente. O Palmeiras o persegue de perto. O Santos, atropelado pelo Grêmio no final de semana, perdeu o gás, não tem elenco para suportar a competição longa.

Os cariocas, justamente, são os adversários do Inter neste meio de semana. Qualquer mínima possibilidade dos colorados seguirem pensando em título passa por um grande resultado no Maracanã. Não é a tendência, convenhamos, ainda que o futebol não canse de surpreender.

O Tricolor segue em recuperação na tabela e tem diante do Avaí, na Arena, a obrigação de vencer. O time de Renato tem qualidade de sobra pra entrar no G4.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here