O Bahia não está entre os melhores conjuntos da competição, mas vinha com uma respeitável invencibilidade de oito jogos no Brasileirão. E daí? O Inter foi à Fonte Nova e, com atuação segura, bateu seu algoz de 1988 por 1 a 0 e viu a distância para o líder São Paulo, que tropeçou no Paraná, cair para apenas um ponto.

Patrick marcou o sétimo gol com a camisa colorada
Fotos: Ricardo Duarte

O time de Odair Hellmann tem um sistema de jogo claro, não brilhante, mas que vem se mostrando, absolutamente, eficiente. São cinco vitórias consecutivas, sem tomar gols. Moledo e Cuesta, bem protegidos por Dourado, vão dando absoluta conta do recado na defesa. Alguém sente a ausência de Danilo Fernandes? Marcelo Lomba esbanja segurança.
O ataque segue resolvendo, independente das opções do treinador colorado. Patrick, autor do gol em Salvador, é um achado e tanto. Guardadas as devidas proporções, faz lembrar Paulo César Tinga. É motor da meia-cancha colorada.

Que jogo este contra o Palmeiras, domingo. Tem tudo para ser um dos grandes confrontos da temporada. O palestra vem embaladíssimo a partir da volta de Felipão, também tendo na solidez defensiva um de seus grandes trunfos. É mais um daqueles testes de fogo para o Inter, que deverá jogar para um público superior a 40 mil pessoas, no Beira-Rio.

Teimosia que custa pontos
Frustrante para os gremistas o empate diante do Cruzeiro, na Arena. O Tricolor perdeu uma boa oportunidade de diminuir sua distância para o São Paulo, sobretudo, pelo pênalti desperdiçado por Luan já nos instantes finais do confronto contra os mineiros.
Aliás, o atacante, que ainda não marcou no Brasileirão, não tem um retrospecto esplendoroso em tiros da marca da cal. Urgente que Renato escolha um nova batedor entre as tantas boas opções que tem em seu elenco.

Aos 14 minutos do 2º tempo, o Grêmio conseguiu chegar ao gol de empate, com Everton
Lucas Uebel | Grêmio FBPA

Everton, outra vez, foi o cara do jogo, com um lindo gol, além de boas iniciativas individuais. Jogador dificílimo de ser marcado, veloz, do drible. Tem tudo para construir uma carreira sólida. Mas o Grêmio não pode ficar dependente de um só jogador, que, inclusive, será desfalque em breve devido aos compromissos com a Seleção Brasileira.
André já ganhou todas as oportunidades possíveis e não aprovou. Jael tem sido mais participativo, mas, mesmo com toda a disposição, não é solução para as pretensões gremistas. Alisson é outro que ainda não mostrou a que veio. É tempo de rever conceitos e preferências. E, quem sabe, contratar.

Sem Guerrero, até 2019
A festa estava preparada para a estreia de Paolo Guerrero no Inter, neste domingo. Contudo, foi derrubada a liminar que permitia ao peruano seguir jogando, após suspensão por uso de substância proibida. Serão mais oito meses de gancho e assim o atacante só voltará a atual em abril de 2019.

A diretoria colorada garante que o contrato do jogador previa essa possibilidade e por isso deverá ficar “congelado” pelo período.

Deixe seu comentário