Crédito: PILAR OLIVARES / REUTERS/O Globo

Vexatória a atuação do Grêmio diante do Flamengo. Um fiasco histórico protagonizado no Maracanã, uma dura eliminação nas semifinais da Libertadores, que refletiu nas colunas da Arena.

Os cariocas têm mais time, não resta a menor dúvida. O conjunto de Jorge Jesus é muito superior a qualquer outro, não só no Brasil, mas no continente. A tendência é de que conquiste o título da disputa continental diante do River Plate.

O Grêmio, contudo, facilitou demais a tarefa do Flamengo, sobretudo nos 45 minutos finais da partida da quarta passada. Alguns jogadores pareciam desligados, desinteressados, jogaram a toalha cedo demais. Outros, é preciso fazer uma ressalva, não estavam nas melhores condições.

Nunca ficaram tão claras as carências do plantel gremista. Com os laterais que hoje Renato tem à disposição, só para citar um exemplo, seu time não vai a lugar algum. O elenco precisa passar por um processo de renovação.

Outra atitude

Zé Ricardo chegou sob desconfiança dos torcedores ao Beira-Rio. A primeira amostragem de seu trabalho, contudo, foi um tanto animadora. Diante do Bahia de Roger, em Salvador, o Inter “ousou” permanecer mais no campo de defesa de seu adversário. Os colorados “se atreveram” a atacar. Foram premiados com uma vitória importantíssima, importante para o torneio de consolação que é a conquista de uma vaga na próxima Libertadores.

É preciso pés no chão. Sabe aquela história de que vassoura nova vare bem? Zé Ricardo e seu novo Inter terão dois desafios e tanto em sequência. Primeiro, o Athlético Paranaense, algoz colorado na Copa do Brasil há pouco mais de um mês. Depois, só mais um Gre-Nal na Arena, onde o Inter não vence desde 2014. É mole?

Vejamos se o time irá manter a postura mais ousada, algo tão cobrado pelos torcedores nos tempos de Odair Hellmann.

Gre-Nal com gosto de ressaca

As expectativas de gremistas e colorados para a temporada eram enormes, mas os grandes títulos ficaram tão somente no sonho. Vamos para um Gre-Nal onde o entusiasmo não é dos mais fortes, ainda que um triunfo no clássico sempre tenha gosto para lá de especial. Ainda tem o fato de um bom resultado poder aproximar colorados ou gremistas do tal G4, que até pode virar G5 se o Flamengo for campeão da América.

Apesar das últimas atuações, onde faltou regularidade, o Grêmio irá a campo com ligeiro favoritismo. Mantém uma sequência de trabalho e joga em casa. O rival, por sua vez, buscou uma mudança de rumo quase ao apagar das luzes da temporada.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here