Crédito: Site do Inter

O empate com o Santos, ainda que o adversário venha fazendo grande campanha no returno do Brasileirão, não estava nos planos do Inter. Mais de 43 mil torcedores foram ao Beira-Rio, em plena noite de segunda-feira, e testemunharam um grande jogo, com belos gols, além de um papelão protagonizado pelo árbitro Ricardo Marques Ribeiro e de uma infelicidade do lateral Fabiano, que acabou sendo protagonista do empate do Peixe.

Ficou muito claro que a arbitragem do confronto estava esperando uma espécie de auxílio externo para tomar decisão com relação ao gol anulado de Leandro Damião. A emissora responsável pela transmissão do confronto, contudo, astutamente, não reprisou a jogada até a tomada de decisão pelo senhor do apito. Foi uma parada de quase sete minutos no jogo. O mínimo que se espera é que a mesma emissora tenha esse mesmo tipo de atitude em outros confrontos da competição.

O Inter, apesar do revés, segue no páreo. As tabelas de Palmeiras e Flamengo são, inegavelmente, mais complicadas. Os dois clubes, aliás, irão se encontrar na próxima rodada. O “mas” é que ninguém consegue parar o Verdão de Felipão. Impressionante seu retrospecto recente.

Na próxima rodada, os colorados irão enfrentar um desesperado Vasco, no Rio. Ainda que seja um adversário de grande tradição, caso ainda sonhe com o título, o time de Odair Hellmann não pode nem pensar em marcar passo, como ocorrido contra Chapecoense e Sport, por exemplo.

Dura tarefa na Argentina

River Plate X Grêmio tem tudo, no conjunto, para ser um dos mais eletrizantes confrontos da história recente da Libertadores da América. Um duro teste para o Tricolor, para muitos até uma espécie de final antecipada.

Luan, no apagar das luzes, viajou. Se está recuperado mesmo, são outros quinhentos. Everton, por hora, é carta fora do baralho. E que carta. Por suas características, pela qualidade, é peça fundamental nesse tipo de jogo. Talvez esteja à disposição no confronto de volta.

O Grêmio quer voltar vivo do Monumental de Nuñez. O conceito de voltar vivo é um tanto subjetivo, depende também do transcurso do confronto. Talvez perder de pouco, por um gol.

Deixe seu comentário