Crédito: Arena do Grêmio/Divulgação

Se quando alimentava alguma possibilidade de brigar pelo título do Brasileirão já fazia uso do artifício de preservar seus titulares antes de jogos importantes por outras competições, não seria agora que Renato iria mudar de ideia. O Tricolor se vê distante oito pontos do líder Inter, faltando 14 rodadas a serem jogadas, ainda.

Sábado, a parada é diante do virtualmente rebaixado Paraná, que voltou pra A depois de dez anos, mas parece não ter se preparado da melhor forma para as duras exigências da competição. Jogo na Arena em horário bom, 16h, mas que não deverá atrair um público dos mais numerosos.

O Grêmio usará um time completamente alternativo, pelo que projeta a imprensa da capital. Domingo, já tem viagem para a Argentina, para enfrentar, na terça, o surpreendente Atlético Tucumám, na partida de ida das quartas de final da Libertadores.

Esse Paraná, apesar da campanha pífia, já andou causando alguns sustos – os colorados que o digam. Mas mesmo com o time Z os gremistas seriam amplos favoritos.

Dúvida importante para Chapecó

O Inter só jogará na segunda-feira, à noite, contra a Chapecoense. A Arena Condá deverá estar, praticamente lotada. O time da casa busca a segunda vitória seguida na competição para tentar fugir da zona de risco. Os colorados querem manter a liderança e reafirmar o ligeiro favoritismo na briga pelo título.

O histórico recente vermelho no oeste catarinense é nada animador, mas nunca nesse passado recente o Inter foi tão favorito para lá. O time de Odair não tem culpa da situação da simpática Chape. Tem que ir lá e, simplesmente, impor a sua superioridade.

O treinador colorado poderá ter um sério problema. Rodrigo Dourado é dúvida para o confronto do início da semana que vem. Vem sentido um desconforto já há algum tempo. No Gre-Nal, jogou à base de injeções. Pelo grande momento que vive o volante, seria um desfalque e tanto.

Deixe seu comentário