Vendo a distância para o líder se alongar no Brasileirão, depois da derrota para o Atlético Paranaense, o Grêmio se vê cada vez mais no compromisso de avançar na Libertadores. Vai ter que reverter a vantagem obtida pelo jovem time do Estudiantes, na Argentina. A Arena estará lotada e na expectativa da tarefa ser concretizada.

Com time alternativo, Grêmio acaba superado pelo Atlético-PR em Curitiba
Foto: Lucas Uebel

O time gremista tem mais recursos de qualidade que o adversário argentino, não tenho dúvidas disso. A tendência é de que vença e, se jogar tudo o que pode, com vontade, pode até vencer muito bem.

O gol de Kannemann, marcado na casa do adversário, aliviou a pressão para o Grêmio. Tivesse voltado com um 2 a 0 contra na bagagem, a tarefa seria muito mais encrespada.
Para que o tema de casa seja facilitado, é fundamental, também, que Renato reveja algumas de suas escolhas. Parece que o treinador anda naquela de “eu vou mostrar para vocês quem manja”. A insistência com algumas peças pode comprometer, seriamente, as pretensões gremistas. Tem jogador que não tem lá tanto cartaz, mas que, quando chamado, está dando resposta ligeiramente melhor.

Frustrante? Nem tanto
Confesso que me chamou atenção o tom alarmista da imprensa esportiva da capital e mesmo de alguns torcedores colorados por conta do empate sem gols do Inter com o Palmeiras, domingo, num Beira-Rio mais uma vez lotado. Claro que o São Paulo venceu e voltou a ampliar sua vantagem na liderança, mas, diante do que se viu em Porto Alegre, é mais fácil crer que o time de Odair Hellmann ganhou um ponto do que tenha perdido dois.
Mesmo sem usar sua força máxima, o verdão impôs enormes dificuldades. Tem um elenco milionário, possivelmente, o mais qualificado do país. Com Felipão no comando, são nove jogos sem tomar gols. Nos primeiros 45 minutos, os donos da casa praticamente não concluíram a gol. Na etapa complementar, o Inter voltou com mudanças táticas a passou a se impor, mas não o suficiente para chegar à sexta vitória seguida.

Internacional jogou melhor no segundo tempo
Fotos Internacional: Ricardo Duarte

Como os times que vêm logo atrás na classificação também tropeçaram, não foi tão mau negócio o empate. Óbvio que, como no primeiro turno, o início do segundo traz uma tabela bem salgada para os colorados. E o negócio é tentar seguir somando pontos, do jeito que der.

O próximo desafio é com o Cruzeiro, no domingo, no Mineirão. Pelo Brasileirão, o Inter não vence a raposa em Belo Horizonte, absurdamente, desde o ano de 1987. Pedreira, mas está na hora de ganhar lá. E depois o Inter será visitado pelo Flamengo. Jogaços.

Deixe seu comentário