Divulgação/FN

Sim, na semana passada tivemos um tropeço no mercado financeiro. Não só no Brasil, mas global. É normal, acontece nas melhores famílias, e para investidores com foco no longo prazo nada muda. Aproveitam até para aumentarem posições. Mesmo um horizonte de longo prazo azul, como a maioria dos analistas têm descrito nosso futuro, podem passar por temporais momentâneos de verão. Entretanto, precisamos ficar sempre atentos e olhando para frente, afinal, não se pode confundir o famoso “buy and hold” com “buy and forget”! O mundo está muito dinâmico e antigos padrões podem deixar de existir rapidamente. Taxas negativas ao redor do mundo estão aí para não me deixarem mentir.

O que houve na semana passada foi mais do mesmo. Na quarta-feira o Índice Bovespa voltou para perto dos 100 mil pontos seguindo a aversão ao risco global e, também, novas incertezas com relação a Reforma da Previdência. Fazer o que, dependemos, infelizmente, de políticos brasileiros.

Nossos senadores conseguiram encolher a economia da Reforma da Previdência em R$ 133 bilhões na votação do primeiro turno na casa. A economia total prevista agora, para 10 anos, é de aprox. R$ 800 bilhões. O encolhimento, bem como o adiamento da votação do segundo turno, são represarias ao Governo frente as investigações de alguns líderes partidários. Também pressionam para que os recursos do pré-sal não vá para as prefeituras. O Senado havia destinado os mesmos aos estados. Novamente vemos problemas na articulação política do Governo. Entretanto, já há uma proposta de divisão do dinheiro do megaleilão para se aumentar as emendas parlamentares.

Lá fora tivemos desapontamentos com dados da indústria americana e um noticiário negativo sobre a fatídica guerra comercial. Novas tarifas autorizadas pela OMC agora sobre importações da EU, em retaliação a subsídios concedidos à Airbus naquela região. Ainda temos contração de diversos indicadores econômicos na Zona do Euro, Reino Unido e Japão. A desaceleração prevista está se confirmando.

Aderson Gegler,
Ph.D, Diretor da Moinhos
Investimentos /Divulgação

Contudo, a agenda segue positiva. O panorama para a resolução, ou pelo menos uma amenização, da guerra comercial ainda é bom para o mês de outubro, quando voltam as conversas entre EUA e China. Aqui também, panorama para inflação segue baixo, perspectivas para a Selic também entre 4,50% a 4,75% para o fim do ano (já vi analista falando em 3%!! E exatamente essa combinação de inflação e Selic nesses patamares me faz repetir a pergunta: “Você sabe quanto seus investimentos estão lhe remunerando de juros reais?” Aproveite essa semana para descobrir.

2 COMENTÁRIOS

  1. Por curiosidade a Moinho Investimentos era a empresa de um dos “guerrilheiros da notícia” , falecido Antonio Carlos Baldi que participou de programa televisivo da tv Guaíba?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here