Corpo de pescador de Caxias, que estava desaparecido desde sábado, foi encontrado na manhã de quarta-feira junto a ponte baixa da divisa entre Vale Real e Feliz - Crédito: CBM RS

Na manhã desta quarta-feira, dia 22, em torno de 9h, os bombeiros encontraram o corpo do homem de 57 anos que tinha desaparecido no rio Caí no último sábado. No quinto dia de buscas, o corpo foi encontrado junto da ponte baixa sobre o rio Caí, que liga Vale Real a localidade de Bananal, na Feliz.

Corpo foi encontrado junto a ponte baixa da divisa entre Vale Real e Feliz
– Crédito: Bombeiros de Bom Princípio

Luiz Antônio Feijó, que morava em Caxias do Sul, teria saído de casa para pescar com um caíco na altura do bairro Vila Nova, no município do Vale Real. Desde então iniciaram as buscas, mobilizando cerca de 15 bombeiros, voluntários e militares, de seis municípios – Bom Princípio, São Sebastião do Caí, Garibaldi, Farroupilha, Caxias do Sul e Porto Alegre, que percorreram mais de dez quilômetros, com barcos e mergulhadores. No final da tarde do feriado de segunda-feira, dia 20, o barco em que a vítima estava foi localizado próximo da ponte baixa do Vale Real e por isso aumentou a suspeita de que o corpo pudesse estar neste local. Anteriormente também já tinham sido encontrados uma cadeira e um molinete que teriam sido utilizados por ele.

Bombeiros voluntários e militares, de seis municípios, incluindo mergulhadores, trabalharam nas buscas
– Crédito: Bombeiros de Bom Princípio

Conforme o comandante dos Bombeiros Voluntários de Bom Princípio, Paulo Portinho, não se tinha uma informação exata onde teria ocorrido o desaparecimento. A vítima teria saído sozinho para pescar em torno de 8h30 da manhã de sábado, mas só por volta de meio-dia amigos dele que moram no Vale Real deram a sua falta e após a suspeita de afogamento avisaram a Brigada Militar em torno de 14h, sendo que cerca de uma hora depois foram acionados os Bombeiros de Bom Princípio, que pediram o apoio dos mergulhadores do Caí, além de colegas de outras corporações Com as últimas chuvas, o rio ficou com nível alto e forte correnteza, o que dificultou bastante as buscas.

A Brigada Militar isolou o local até a remoção do corpo para a necropsia no Instituto Médico Legal (IML). A Polícia Civil será a responsável por apurar as circunstâncias da tragédia. Foi o quarto afogamento registrado no rio Caí na região em menos de um mês.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here