Velório do prefeito de Tupandi e de sua filha Julia ocorre no ginásio municipal - Crédito: Alex Steffen

No início da manhã desta terça-feira, dia 8, iniciaram os atos fúnebres de despedida do prefeito José Hilário Junges. O velório acontece no Ginásio Poliesportivo Júlio Redecker, em Tupandi.

No centro do ginásio estão o caixão de Hilário, assim como foto, bandeira do município, livro de sua história, coroas e flores. Ao lado está a urna com cinzas da filha Júlia Junges González, que também está sendo homenageada. Já é grande o movimento no velório e tende a aumentar ao longo do dia. Às 16h está previsto um cortejo fúnebre, pelas principais ruas da cidade, com o caixão sobre o caminhão dos bombeiros. A missa de corpo presente está programada para às 17h na igreja Matriz Cristo Redentor, seguida de sepultamento no cemitério de Tupandi.

Prefeito de Tupandi faleceu ontem, aos 77 anos
– Reprodução/FN

Hilário, de 77 anos, faleceu no final da tarde de ontem, segunda-feira, por volta de 18 horas, no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, onde estava internado desde o ano passado. Ele estava no quarto mandato como prefeito de Tupandi. Sua última eleição foi a mais disputada da região, tendo vencido por apenas 12 votos (0,32%) em 2020. Antes disso foi o primeiro prefeito de Bom Princípio em 1982, além de vereador em Montenegro em 1976.

Os municípios de Bom Princípio, Montenegro e Tupandi decretaram luto oficial de três dias. Desde o afastamento de Hilário para tratamento médico, o vice Bruno Junges assumiu como prefeito em exercício e agora seguirá dando andamento aos trabalhos na Prefeitura de Tupandi. Hilário deixa a esposa, Cecília, além dos filhos, demais familiares e um grande número de amigos e admiradores.

Filha mais nova do prefeito, Julia era médica em Buenos Aires quando faleceu em junho de 2020, vítima de câncer. Por conta da pandemia, só no último mês de janeiro a família conseguiu receber as cinzas de Júlia, vindas da Argentina. Casada e mãe de dois filhos, ela lutou por quatro anos contra a doença. Como não tinha sido possível fazer a despedida de Júlia em Tupandi, a família decidiu prestar uma homenagem conjunta, para Hilário e a filha. Conforme os familiares, será o momento de homenageá-los e agradecer pelas pessoas maravilhosas que foram. “Era vontade da nossa irmã que as cinzas fossem trazidas para Tupandi, mas o marido não tinha como trazer porque a fronteira estava fechada devido a pandemia”, citam os irmãos. Ele e os filhos só conseguiram trazer a urna em janeiro e por isso agora será feita a despedida de Júlia e do pai Hilário em Tupandi.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here