Prefeita diz que sem isenção os moradores seriam prejudicados e se torna inviável com a proximidade das praças de pedágio de Farroupilha e Carlos Barbosa - Crédito: Prefeitura

Sobre a manifestação do secretário extraordinário de parcerias do Estado, Leonardo Busatto, de que a nova praça de pedágio da RS 122 poderia ir mais para o lado de São Vendelino, a prefeita Marli Weissheimer se manifestou contrária. Ela lembrou que desde o início dos rumores de mudança no pedágio de Portão, que será desativado, surgiram comentários de instalação de uma praça em São Vendelino. Mas isso não deve ocorrer porque o Estado anunciou pedágios também para Farroupilha e Carlos Barbosa, e é preciso uma distância mínima de 50 quilômetros entre as praças. Marli entende que em São Vendelino também teria muitos pontos de fuga para desvios e a rodovia é praticamente toda em zona urbana, o que é inviável pelos critérios do Estado. A prefeita ressaltou que sem a possibilidade de isenção de tarifa para os moradores, a instalação de um pedágio traria grandes prejuízos.

Pedágio no Portão deve ser desativado e transferido para outro local da RS 122
– Crédito: Jefferson Bernardes/Agencia Preview/EGR

A manifestação do secretário Busatto ocorreu durante reunião com prefeitos e lideranças na última quarta-feira. Inicialmente o Governo anunciou a instalação de um pedágio no quilômetro 25,5 da RS 122, na altura do bairro Bela Vista, próximo da ponte sobre o rio Caí. Os prefeitos Fábio Persch, de Bom Princípio, e Júlio Campani, de São Sebastião do Caí, se posicionaram contrários a mudança do pedágio para o trecho entre os dois municípios. E também o prefeito de Montenegro, Gustavo Zanatta, que foi contra a instalação de uma praça na RSC 287, altura do quilômetro 12,6, na localidade de Muda Boi. O prefeito de Portão, Kiko Hoff, que é o presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (Amvarc), criticou o formato proposto pelo Governo nas concessões, com o fim das isenções e pouco retorno financeiro ao município que receber o pedágio. Disse que do jeito que foi proposto ninguém vai querer praça de pedágio e reclama que como em Portão a EGR anunciou restrições para as atuais isenções, ameaça abrir um novo desvio pavimentado.

Uma nova reunião, entre prefeitos, lideranças da região e representantes do Governo do Estado, deve ocorrer nos próximos dias. Também já iniciou a consulta pública, em que os usuários podem encaminhar sugestões e questionamentos por email até 18 de julho. Também estão previstas audiências públicas para discutir as concessões e instalações de praças de pedágios.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here