Prefeito Clóvis Duarte diz que Prefeitura está tentando reaver na Justiça as casas que não poderiam ter sido vendidas Divulgação/FN

O prefeito de São Sebastião do Caí, Clóvis Duarte, em entrevista ao Fato Novo, falou do atendimento prestado pela Administração Municipal para as famílias desabrigadas pelas enchentes, muitas delas encaminhadas para os abrigos situados no bairro Rio Branco. “Ficaram em condições de segurança até voltar para casa”, frisou.

“Comem a carne e jogam o resto fora”, reclama prefeito
– Crédito: Prefeitura

Mas Clóvis também lamentou a atitude de algumas pessoas, que jogaram fora doações que receberam, como roupas e até comida. “As refeições foram servidas por dois restaurantes de prestígio da cidade. Uma alimentação ótima. E comem a carne e colocam o resto fora”, declarou, “E vários sacos de roupas, doadas, foram recolhidos, após as pessoas jogarem fora”, completa, indignado. Além disso, a Prefeitura recebeu denúncias de que pessoas estariam até vendendo viandas recebidas da Prefeitura. “Prejudica a imagem do município e às vezes nos faz pensar em desistir”, afirmou, decepcionado. “Mas graças a Deus a nossa comunidade é solidária”, ressalta, lembrando que além do investimento do município, também foram recebidas doações de várias cidades do Estado. Garibaldi, por exemplo, enviou dois caminhões cheios de vários produtos. “Infelizmente todos os anos têm acontecido isso”, completa.

Caí teve três enchentes em duas semanas, com várias famílias sendo atendidas novamente – Crédito: Prefeitura

Outro ponto negativo, segundo o prefeito Clóvis, é que várias destas famílias que foram abrigadas em ginásios do município ganharam casas da Prefeitura, em governos anteriores, venderam as moradias e voltaram para o local que a enchente atinge. “Estamos tentando recuperar na Justiça as casas que foram vendidas. Quem comprou não poderia ter comprado e quem vendeu não poderia ter vendido. Queremos recuperar para tentar colocar nestas 57 casas pessoas que realmente valorizem e que fiquem nas residências. Porque naquele bairro onde ganharam as casas não vai enchente nenhuma”, afirma

O prefeito lamentou ainda a dificuldade de obter recursos. “Estive pessoalmente no Ministério da Integração Nacional, em Brasília. Recebemos a promessa de receber 6 milhões de reais para a construção de novas residências em um outro bairro que iríamos desapropriar um espaço, mas não recebemos nada. E mesmo nas enchentes que encaminhamos todos os documentos para os Governos Federal e Estadual, o município fica só na promessa de receber recursos. Estou terminando meu mandato agora em dezembro e não recebi um tostão de ajuda. É o município que tem que se virar”, diz. Citou que a única ajuda é da Defesa Civil Estadual e de outros municípios. “Outras verbas ficam só na promessa”, cita.

Clóvis Duarte concluiu conclamando a população para ajudar na fiscalização, sobre o aproveitamento das doações, para evitar outras decepções.

Ouça a entrevista aqui:

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here