Justiça decidiu que cães vão aguardar em lares temporários de colaboradoras da ONG do Caí enquanto tramita o processo - Crédito: Vira Lata do Caí

Um novo capítulo ocorreu ontem, domingo, dia 11, no caso do resgate de cerca de 50 cães da raça Pug de um canil de São Sebastião do Caí.

A Justiça atendeu a solicitação do Ministério Público do Caí, através de sugestão da promotora Cristine Zottmann, para que os animais não fossem restituídos para a proprietária e nem ficassem com os membros do grupo de Porto Alegre que os resgatou. Foi decidido que seriam remanejados para colaboradores (madrinhas) da ONG Vira Lata do Caí, entidade considerada isenta de interesse da situação e que tem uma credibilidade de mais de dez anos de atuação na defesa dos animais. “Nós estamos como fiéis depositários dos cães, por ser um órgão neutro. Estão sob nossa tutela enquanto tramita o processo”, explica a presidente da Vira Lata do Caí, Paola Mello. “Todos os cães foram examinados, medicados e estão se recuperando”, completa. “Eles não estão com integrantes da Vira Lata do Caí, mas com nossas madrinhas, que são colaboradoras. Estão em lares temporários, com pessoas responsáveis, que têm condições de cuidar e abrigar os cães dessa raça”, garante. “Nenhum dos cães está para adoção e não serão vendidos”, ressalta, reforçando o alerta em razão do grande número de pedidos para adoção nas redes sociais e a enorme repercussão sobre o caso.

Hoje dia das crianças no meio da criançada. Pugs recebendo amor, carinho e cuidados.NÃO ESTÃO PARA ADOÇÃO!

Publicado por Vira Lata do Caí em Segunda-feira, 12 de outubro de 2020

 

Relembrando o caso

Na sexta-feira retrasada, dia 2, ativistas invadiram um sítio na localidade de Lajeadinho, no Caí, onde funciona o canil 3 Q Pugs. Alegando que os cães eram vítimas de maus-tratos e estavam em local insalubre, resgataram os animais. Os envolvidos foram todos parar na Delegacia de Polícia e foi instaurado inquérito policial para apurar os fatos. Inicialmente os cachorros foram para lares temporários dos próprios integrantes do grupo que fez o resgate. Mas na última quinta-feira a Justiça do Caí concedeu liminar à proprietária do canil, Patrícia Andrade Gomes, determinando a devolução dos Pugs. No dia seguinte houve uma nova determinação judicial, pelo sobrestamento, suspendendo a devolução dos animais para a proprietária e que fiquem sob responsabilidade da ONG Vira Lata do Caí enquanto tramita o processo e tenha uma definição sobre o destino dos Pugs.

Publicado por Viralata Do Caí em Domingo, 11 de outubro de 2020

O caso ganhou repercussão nacional, dividindo opiniões e gerando milhares de postagens e comentários nas redes sociais. O presidente do Kennel Clube, entidade que representa os criadores, condenou o resgate dos animais, considerando que houve crime de invasão da propriedade da criadora, já que os ativistas não tinham ordem judicial, arrombaram portão e portas. Já o grupo que fez o resgate considera que a ação foi constitucional e legal visando salvar os animais, alegando que estavam sendo maltratados. Advogados de ambas as partes ingressaram com ações na Justiça. Até mesmo atrizes da TV Globo, como Paula Burlamaqui e Alexia Dechamps, além da ativista Luisa Mell, fizeram manifestações em suas redes sociais.

‼️‼️INFORMAÇÕES SOBRE OS PUGS RESGATADOS DE MAUS TRATOS DO CANIL EM SÃO SEBASTIÃO DO CAÍ‼️‼️

Publicado por Vira Lata do Caí em Domingo, 11 de outubro de 2020

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here