Professora Janaína Flores foi a vencedora do Prêmio Professor Projeto em Destaque pelo trabalho realizado na Escola Josefina Jacques Noronha, da Vila Rica

“Viajando pelo Brasil Através das Cartas” foi o projeto que obteve o primeiro lugar entre os trabalhos desenvolvidos nas escolas estaduais de abrangência da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE). O projeto caiense, coordenado pela professora Janaína Flores na Escola Estadual Josefina Jacques Noronha, do bairro Vila Rica, foi o grande destaque do Ensino Fundamental de toda a região que envolve os Vales do Sinos, Caí e Paranhana. Janaína recebeu o prêmio Professor Projeto em Destaque no último dia 23 de novembro, em São Leopoldo.

Professora Janaína Flores conquistou o 1º lugar na premiação do Professor Projeto em Destaque
– Reprodução/FN

Em sua quarta edição, a premiação contou com a participação de representantes de 165 escolas da região. Foram homenageados cinco educadores de Ensino Fundamental e cinco de Ensino Médio que desenvolveram, ao longo do ano, trabalhos inovadores, com grande impacto na comunidade escolar. Na mesma cerimônia foram agraciados 14 diretores da região que se aposentaram no último período.

O Vale do Caí ainda teve mais premiações. No Ensino Médio, o segundo lugar ficou com o projeto “Educação para a Saúde na Escola”, coordenado pelo professor Arílio Silva Junior, da Escola Monsenhor José Becker, de Bom Princípio. Já entre os ex-diretores homenageados, do Vale do Caí, estão: Clea Salete Pereira Tavares (Escola Dr. Paulo Ribeiro Campos, de Montenegro), Eliezer Simone Castro dos Santos (Escola Dr Paulo Ribeiro Campos, de Montenegro), Ana Accadrolli (Escola Coronel Álvaro de Moraes, de Montenegro), Elaide Petry Loff (Escola Arthur Weimer, de Salvador do Sul), Meri Teresinha Abel Lunckes (Escola Adolfo Flor, de Salvador do Sul) e Cintia Magali Roesler (Escola Guilherme Appel, de São Pedro da Serra).

Viajando pelo Brasil através das cartas

Em julho deste ano o projeto Viajando pelo Brasil através das cartas foi destaque em reportagem no jornal Fato Novo. Além de na Escola Estadual de Ensino Fundamental Josefina Jacques Noronha, do bairro Vila Rica, a professora Janaína Flores desenvolveu o projeto também na Escola Municipal São José, do Loteamento Popular, já que leciona em ambos os colégios. Os estudantes participaram da troca de cartas com estudantes de todo o país. A idéia surgiu nas redes sociais através da troca de informações entre professores. O objetivo é de incentivar os alunos a escrever e ler. Na era das redes sociais e da informática, práticas que eram comuns antigamente para se comunicar deram lugar às correspondências eletrônicas como por email e whatsapp.

Professora Janaína desenvolve o projeto em duas escolas do Caí
– Arquivo/FN

Em março deste ano foram enviadas as primeiras cartas, num intercâmbio entre 26 escolas, de dez Estados. Cada aluno escreveu sua carta, colocou no envelope e botou selo no Correio. Num primeiro momento eles escreveram sobre a cidade e a escola. Depois contaram suas histórias. Escreveram, por exemplo, sobre a escola, a Festa da Bergamota, pontos turísticos com fotos. Inclusive enviaram cartões-postais, como era feito antigamente. As cartinhas foram enviadas para estudantes do Rio de Janeiro, São Paulo, Estados do Nordeste e outras regiões. E o projeto ganhou destaque na imprensa estadual e nacional.

Janaina destaca que através das cartas os estudantes desenvolvem o aprendizado em várias disciplinas, como português, geografia e história. Conhecem realidades diferentes do Brasil. Chama a atenção a culinária e as frutas típicas de cada região. Alunos do Nordeste, por exemplo, ficaram curiosos em conhecer a bergamota, fruta que em outras regiões leva o nome de tangerina ou mexerica. Nas escolas do Caí, que participam do projeto, o momento mais esperado pelos alunos participantes é a chegada do carteiro trazendo as cartinhas. Os alunos fazem questão de ler em voz alta as cartas que recebem, compartilhando as histórias com os colegas.

A professora Janaina, que é uma das coordenadoras do projeto no país, espera que o Viajando pelo Brasil através das cartas seja ampliado, envolvendo mais estudantes, estimulando a escrita, a leitura e o vocabulário, além da busca do conhecimento e da informação, formando também laços de amizade com crianças da mesma idade de todo o país. Assim eles trocam experiências e compartilham conhecimentos.

Deixe seu comentário