Foram desapropriados 18 lotes no Loteamento Boa Vista, próximo ao Loteamento Popular - Crédito: Google Earth

A Prefeitura de São Sebastião do Caí efetivou o primeiro passo para implantação de novas ações na área habitacional e de segurança pública.

Através de lei municipal, será efetuada a desapropriação amigável de 18 lotes urbanos, junto ao Loteamento Boa Vista, próximo ao Loteamento Popular. No local serão construídos imóveis residenciais, dentro de uma nova política habitacional a ser desenvolvida pelo município que visa, ao mesmo tempo, proporcionar moradia digna e reduzir gradativamente os altos valores gastos com o aluguel social, atualmente em vigor.

Segundo a Prefeitura, a opção pela aquisição de lotes com matriculas individualizadas e com infraestrutura urbana se dá em função dos fatores agilidade e economia. No modelo tradicional de compra de uma área de terras maior, e posterior investimento em seu loteamento e infraestrutura, a Administração Municipal alega que demandaria uma série de licenciamentos, contratação de serviços, licitações, execução, acompanhamento e processos licitatórios diversos, além de estar sujeito a imprevistos e gastos adicionais comuns neste tipo de empreendimento.

A desapropriação envolve um acordo com a empresa loteadora, que se comprometeu a construir, junto à área de uso institucional do Loteamento, uma edificação que irá sediar um Posto da Brigada Militar, o que proporcionará maior segurança para o Loteamento e para o seu entorno. Também caberá à empresa a pavimentação de uma nova rua no Loteamento, que facilitará o trânsito e a saída de veículos do Posto da Brigada. Além disso, duas ou três moradias serão cedidas para policiais da Brigada Militar, que ainda não tenham moradia no município, poderem ali morar.

A Prefeitura pretende assim dar uma nova dinâmica às ações na área habitacional. Para exemplificar, as residências não serão doadas ou vendidas a preços subsidiados, mas sim, cedidas para o uso por parte das famílias previamente selecionadas. Assim, situações como a venda de imóveis e falta de controle quanto ao cumprimento da função social das habitações construídas pelo Município, não irão mais ocorrer. Os imóveis serão construídos com recursos do município e permanecerão de sua propriedade.

A Administração Municipal investiu R$ 1.140.000,00 na desapropriação, através de negociação na qual obteve desconto sobre os valores de tabela, além de abatimento de débitos, acarretando no pagamento liquido de cerca de R$ 865 mil.

Conforme anunciado em recente coletiva da administração municipal, o valor orçado para investimento em Políticas Habitacionais em 2021 totaliza R$ 2 milhões, exclusivamente de recursos próprios.

 

 

1 COMENTÁRIO

  1. Sobre Construir casas e terminar com aluguel social:
    Parabéns pela iniciativa, e ainda mais com a ideia de não colocar ou vendê-las,
    pois certamente serão realocadas em tratativas de negociação própria.
    Mais uma vez digo,
    Nessa Gestão eu confio, eu conheço as pessoas da Administração.

    Gilson Fraga Coelho de Tramandaí

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here