Durante a inauguração da nova Delegacia, o prefeito falou da intenção de voltar a atuar na Polícia, onde trabalhou por trinta anos - Crédito: Prefeitura

Durante a inauguração do novo prédio da Delegacia de São Sebastião do Caí, na última quarta-feira, dia 25, em sua manifestação, o atual prefeito Clóvis Alberto Pires Duarte, de 67 anos, revelou que pretende voltar a atuar na Polícia Civil. “A partir do próximo ano, após terminar meu mandato como prefeito, estou pensando em voltar a servir a Polícia Civil”, disse, em entrevista ao Fato Novo.

Chefe de Polícia do Estado, Nadine Anflor, e a delegada Cleusa Spinato, convidaram Clóvis para retornar à Polícia Civil
– Crédito: Prefeitura do Caí

O prefeito inclusive foi convidado pela chefe de Polícia do Estado, delegada Nadine Anflor, para voltar a atuar na Polícia. “Volte a nos ajude no trabalho da Polícia Civil. Estamos lhe aguardando de braços abertos”, falou Nadine, em seu pronunciamento, ressaltando que o prefeito Clóvis deixou um legado importante, com a conquista da nova Delegacia. “Sentiremos-nos honrados com o retorno do prefeito Clóvis. Sempre ajudou a Polícia Civil. E pode ajudar mais, na parte administrativa, com sua experiência.

A delegada do Caí, Cleusa Spinato, com quem Clóvis trabalhou muitos anos, como policial civil, na Delegacia antiga, também elogiou o prefeito e colega. “Temos o máximo interesse que volte. Tive a honra de trabalhar com o Clóvis muitos anos. Sempre desempenhou com muita dedicação o seu trabalho. Com certeza ainda tem muitos anos para contribuir para a Polícia Civil. Vamos ter o maior empenho para que isso se concretize”, afirmou.

Clóvis diz que após 31 de dezembro pretende descansar por pelo menos dois meses. “Mas em março, se tudo der certo, entro no programa de inativos da polícia para exercer funções administrativas e seguir fazendo minha parte pela nossa comunidade”, declarou. Não esconde o desejo de voltar a participar de operações, buscas e prisões, mas lembrou que o policial civil inativo não pode fazer serviço de rua. “Mas com o meu conhecimento da parte interna da Delegacia, acho que posso contribuir para que a população seja bem atendida”, disse.

O atual prefeito optou por não concorrer à reeleição. “Assim como nos trinta anos de Polícia, na Prefeitura também procurei dar o melhor de mim, servindo a comunidade caiense da melhor maneira possível. Não conseguimos fazer tudo que planejamos e desejamos, mas fizemos o possível”, avalia. Lembrou que veio para o Caí para jogar futebol no Riachuelo e trabalhar na Polícia. “Fui muito bem recebido. Me considero um caiense. Quando fui eleito eu já manifestei que não tinha intenção de concorrer à reeleição. Nem por isso deixei de trabalhar com afinco, dando tudo de mim”, falou. Por fim elogiou as novas instalações da Delegacia, uma obra feita numa parceria e mobilização com a comunidade, empresas, poder público e diversos colaboradores. “Em quase trinta anos de Polícia aqui no Caí, passei por cinco prédios diferentes, todos inadequados e sem condições. Mesmo assim, com a dedicação dos policiais a população nunca ficou desassistida. É um orgulho ter participado e contribuído para agora a Polícia Civil ter um local adequado e digno. Não conheço nenhuma Delegacia do interior do Estado com essas condições. É mais um motivo para atrair policiais para o Caí, o que nos dará mais segurança”, ressaltou.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here