Prefeito tenta impedir instalação do pedágio no Areião - Arquivo/FN

Para a próxima terça-feira, dia 19, às 10h da manhã, em Porto Alegre, está previsto um encontro entre o prefeito de São Sebastião do Caí, Júlio Campani, e representantes do consórcio Integrasul, vencedor do leilão do lote 3 das concessões de rodovias estaduais. Campani tinha solicitado a reunião uma semana atrás, quando esteve em audiência com o governador Ranolfo Vieira Júnior, no Palácio Piratini. O prefeito caiense tem a intenção de apresentar os motivos pelo qual defende a mudança de local da nova praça de pedágio prevista para o quilômetro 4 da ERS 122, no bairro Areião, do Caí. Também pretende sugerir alternativas de locais que entende que não prejudicariam moradores. No encontro com o governador também entregou um abaixo-assinado  com mais de 2.200 assinaturas contra a instalação do pedágio no Caí.

Prefeito Júlio Campani já informou ao governador Ranolfo Vieira Júnior que o Caí tem alternativas como desvios do pedágio e agora vai negociar com a empresa que venceu a licitação
– Crédito: Gabinete do Deputado Neri, o Carteiro

O governador Ranolfo Vieira Júnior sinalizou com a possibilidade de realocação da praça de pedágio. Entretanto, a decisão agora cabe a empresa que venceu a licitação e assumirá a rodovia. Campani ressalta que a instalação do pedágio no Areião implicando em cobrança para moradores e trabalhadores que se deslocam diariamente pela via. Por isso encaminhou a reivindicação de mudança de ponto ou isenção para moradores com comprovação de endereço residencial ou profissional no município.

Na reunião com a Integrasul o prefeito também vai destacar a existência de desvios como alternativas ao pedágio, principalmente pela estrada do Passo da Taquara, que liga a ERS 122 com a RS 240 e que teve um trecho recentemente asfaltado pela Prefeitura do Caí. “Vamos falar das alternativas que iremos apresentar no sentido de desvios do pedágio, dentro da transparência que rege a nossa administração”, afirmou, caso não tenha mudança no local do pedágio.

A nova praça, conforme o projeto de concessão, terá tarifa de quase 10 reais (RS 9,82) no Caí, a mais cara, com cobrança nos dois sentidos e sem direito a isenção para os moradores locais. Por isso a revolta de Campani, que vem liderando uma grande mobilização e, se a situação não for revertida, promete investir em rotas alternativas, como desvios, para não prejudicar os moradores locais.

Presidente da ACIS protestou contra valor da tarifa

Thomas Oderich, presidente da ACIS-CAÍ, falou com o governador sobre o alto valor da tarifa no pedágio do Caí
– Crédito: ACIS

O presidente da Associação Industrial, Comercial e de Serviços (ACIS) de São Sebastião do Caí também esteve com o governador Ranolfo Vieira Júnior. Entre as pautas da conversa, Thomas Oderich bateu pé contra os termos do novo pedágio no Caí. Protestou contra o valor exorbitante da taxa, dos atuais R$ 6,50 no Portão para R$ 19,86 com a cobrança nos dois sentidos no Caí, ressaltando que trará maiores custos logísticos no escoamento da produção de toda a região e consequentemente na elevação de preços ao consumidor. Oderich diz que o governador se mostrou aberto ao diálogo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here