ONG Vira Lata do Caí postou várias fotos de cavalos vítimas de maus-tratos e está organizando manifestação na frente da Câmara - Reprodução/FN

Entre as proposições apresentadas na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de São Sebastião do Caí da última segunda-feira, dia 24, está o projeto de lei de autoria da vereadora Nilse Maria Alves de Lima, a “Baixinha da Saúde”. O projeto dispõe sobre a proibição do uso de veículos de tração animal na área urbana do Caí e dá outras providências. E a votação deve ocorrer na sessão desta segunda-feira, dia 31, a partir das 18h30, aberta ao público (com restrições de lotação para evitar aglomeração devido aos protocolos de prevenção da pandemia) e com transmissão pela internet.

ONG Vira Lata do Caí é favorável a proibição das carroças
– Reprodução/FN

Nas redes sociais já são várias as manifestações. A Associação Protetora dos Animais Vira Lata do Caí já se manifestou a favor da lei de proibição das carroças. Além de uma mobilização, com chamadas como “Cavalos não são escravos”, a ONG está organizando uma manifestação, com concentração em frente à Câmara nesta segunda-feira, às 18h15, antes do início da sessão. Também devem participar lideranças estaduais em defesa dos animais.

A maioria das manifestações têm sido favoráveis a lei, por protestar contra os maus-tratos aos animais, mas também existem comentários de preocupação quanto à situação dos carroceiros, por considerar que poderão ficar sem trabalho para sustentar suas famílias. O questionamento já surgiu durante a última sessão. O mesmo debate já ocorreu em várias outras cidades, também com discussões sobre o tema. E em vários municípios o mesmo tipo de lei foi aprovada.

A Vira Lata do Caí postou em seu facebook várias fotos de cavalos vítimas de maus-tratos, que sobre com excesso de carga, agressões com chicotes e trabalhando mesmo doentes e feridos, citando casos até de éguas prenhes. A ONG mostrou inúmeras casos atendidos no Caí, inclusive de um cavalo que teve que ser submetido a eutanásia devido ao grande sofrimento. Por isso a entidade defende a lei de proibição das carroças.

A vereadora Nilse, que é suplente, apresentou o projeto em sua terceira sessão na Câmara. Defensora dos animais, diz que a proposta é uma de suas bandeiras e acredita na aprovação. Sobre o trabalho dos carroceiros, defende a formação de cooperativa de recicladores, que já existe em outras cidades, assim como a entrega de “cavalos de lata” (bicicleta e carrocinha) para quem entregar seu cavalo. Sobre a fiscalização, caso o projeto seja aprovado, diz que caberá a Prefeitura, inclusive podendo ser aplicada multa e apreensão do animal, que passará a ser cuidado pela ONG. “Não adianta aprovar a lei se ela não funcionar”, ressalta, informando que apresentou um abaixo-assinado com 1.078 assinaturas favoráveis ao projeto. Em caso da aprovação na Câmara e sanção do prefeito, a lei tem prazo de até 6 meses para entrar em vigor.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here