Madalena sofreu uma parada cardíaca no Caí e não resistiu - Foto: Acervo da família

A ex-prefeita Madalena Bühler faleceu na tarde desta segunda-feira, dia 13, aos 70 anos de idade, vítima de parada cardiorrespiratória, que causou insuficiência respiratória. Ela chegou a ser levada ao hospital Sagrada Família, mas não resistiu.

Maria Madalena Bühler foi a primeira vereadora eleita em Montenegro (1982) e a primeira e única prefeita do município (1996). Na eleição para a Prefeitura, atingiu o maior percentual de votos de um prefeito em toda a história, com mais de 60%.

Voltou a concorrer à Prefeitura em 2004, mas sofreu um problema de saúde, que dificultou a campanha, em eleição vencida por Percival de Oliveira. Seu nome voltou a ser lembrado em 2008, mas ela decidiu que não iria mais disputar eleições. “Não vou concorrer mais. Já fiz a minha parte. Quero cuidar dos meus netos”, declarou, na época. “A família é mais importante do que tudo”, completou, informando que voltaria a ser uma simples dona de casa.

Madalena foi a primeira vereadora eleita e a primeira prefeita de Montenegro
– Arquivo/FN

Única mulher entre quatro filhos do casal Maria Eracy Leal Machado e Deolandro Viegas Machado, Maria Madalena se criou entre a cidade e o interior. Viveu a infância na localidade de Fortaleza e depois a filha de ferroviário foi para a cidade. Aos 13 anos, teve o primeiro contato com a política, quando entregou ao então governador Leonel Brizola uma carta pedindo melhorias para o trabalho dos ferroviários.

Participou ativamente da sociedade montenegrina. No carnaval da Escola de Samba Acadêmicos e como presidente da Sociedade Floresta, conquistando títulos estaduais, no CTG Estância do Montenegro e como prefeita levou a Semana Farroupilha para o Parque Centenário, presidente da LBA e envolvida em outras entidades. Como moradora do bairro Santo Antônio também participou das ações na capela. Sem falar na participação política, como grande liderança. E isso tudo sem deixar a família de lado. “Ela era uma grande mãe. Nos ensinou o correto, sempre pensando nos outros, respeitando e ajudando as pessoas”, lembra filha Riviane, emocionada.

Madalena enfrentava um grave problema de saúde. Fazia 12 anos que estava em tratamento contra o Mal de Alzheimer e e encontrava-se numa casa de repouso em São Sebastião do Caí. Deixou o seu legado, pelo grande desenvolvimento que Montenegro teve na sua administração, com a atração de grandes empresas e geração de empregos. O município, que até 1997 enfrentava graves problemas financeiros, adotou uma exitosa política de atração de investimentos, através de incentivos.

O secretário da fazenda da época, Gerson Schardong, lembra que os resultados foram admiráveis. As dívidas foram sanadas. Madalena deixou a Prefeitura em 2000 com um superávit de R$ 1,4 milhão e o orçamento do município pulou de 17 para 54 milhões em quatro anos. Muitos empregos foram gerados e, com mais recursos, melhorou a infraestrutura da cidade. Tanto que Madalena ficou conhecida como a “prefeita do asfalto”. Uma simples dona de casa que foi uma grande administradora. E que nunca deixou de lado a simpatia, marcada pelo seu sorriso fácil.

Deixa os filhos Riviane, Rivana e Rivo Júnior, do casamento com o ex-vereador Rivo Bühler, além de netos e demais familiares e muitos amigos. O velório acontece nesta manhã na Câmara de Vereadores, já que o prédio da antiga usina, hoje sede do legislativo, foi restaurado em seu governo. Mas existem as restrições de participação em razão da pandemia e a família pede a compreensão de todos que não puderem estar presentes, agradecendo o apoio neste momento de despedida. O funeral está prevista para a manhã desta terça-feira, às 10h30, na localidade de Muda Boi. “Nossa mãe nos ensinou a ter força e encarar os desafios da vida de frente. Hoje, além da dor da perda, enfrentamos uma pandemia que nos impede de fazer a despedida que ela merece. Madalena sempre cuidou do povo e, no momento que nos deixa, seguirá cuidando. Para evitar aglomerações, as despedidas serão feitas conforme determinam as medidas de distanciamento social. Sabemos que muitos querem nos abraçar neste momento, mas, quando tudo passar, faremos uma cerimônia digna da nossa querida Mãe e eterna Prefeita e receberemos o conforto do abraço de todos e todas”, agradece Riviane.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here