Termo de colaboração já foi assinado entre a Prefeitura do Caí e entidade que será responsável pela manutenção do local - Crédito: Prefeitura

Em casos de menores que não ficam em segurança nas casas de seus pais, eles precisam ser encaminhados para uma instituição especializada. No Caí, como não havia um local apropriado para acolher essas crianças e adolescentes, elas eram encaminhadas ao Lar Padilha, situado no município de Taquara, que é administrada pela Associação Beneficente Evangélica Floresta Imperial (Abefi), de Novo Hamburgo. Atualmente, 14 crianças e adolescentes caienses estão lá alojadas.

Agora, graças a acordo feito pela prefeitura caiense com a mesma associação evangélica, as crianças e adolescentes em estado de vulnerabilidade serão acolhidas numa casa situada no Caí.

O prédio foi alugado pela prefeitura caiense no bairro Chapadão Baixo, perto da Associação dos Motorista. E será administrada pela mesma Associação Floresta Imperial que abriga os menores caienses em Taquara.

O novo lar deverá iniciar as suas atividades no próximo mês de janeiro e a prefeitura repassará à Abefi R$ 27, 9 mil mensais. O local terá contará com equipe técnica especializada, formada por assistente social e psicólogo. A capacidade inicial será para dez meninos e meninas, de zero a 17 anos.

 

Deixe seu comentário