Prefeito sugeriu a divisa com Portão ou próximo do cruzamento com a BR 116 - Crédito: Prefeitura

Uma semana após encontro com o governador Ranolfo Vieira Júnior, ontem, terça-feira, o prefeito Júlio Campani liderou uma comitiva caiense que esteve reunida com mais representantes do Governo do Estado e do Consórcio Integrasul, vencedor da concessão do lote 3 das rodovias estaduais, do qual faz parte a RS-122.  O encontro ocorreu após inúmeras tentativas de reuniões, ações na justiça e muitas manifestações. Também participaram da reunião o presidente da Câmara de Vereadores do Caí, Cláudio Becker e o vereador João Marcos Guará, além do secretário Estadual de Parcerias Estratégicas, Leonardo Busatto, e Roberto da Silva e Ricardo José Peres, diretores do Consórcio Integrasul.

Campani mais uma vez reforçou que, se instalada no quilômetro 4, como proposto inicialmente, a praça de pedágio dividiria o Bairro Areião do restante do município, prejudicando toda a comunidade, tanto pela obrigatoriedade de pagamento nos dois sentidos, quanto pelo valor exorbitante estipulado, de quase dez reais. O prefeito destacou que a mudança de local é uma reivindicação de todas as lideranças locais e da comunidade, desde o lançamento do edital em junho de 2021.

Prefeito destacou que comunidade caiense é contra a instalação do pedágio no Areião
– Crédito: Fábio Fuchs Klein/FN

Nesta reunião, além da oportunidade de esclarecer aos dirigentes todos os prejuízos que essa instalação causaria à região, o prefeito Campani apresentou várias sugestões do que considera melhores alternativas ao local inicialmente proposto. Assim, ficou acordado que nos próximos dias Campani oficializará essas sugestões através de ofício. “Apresentaremos agora um ofício, que será também endossado pela Câmara de Vereadores, ACIS (Associação Comercial, Industrial e de Serviços) e CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de São Sebastião do Caí, onde apresentaremos as alternativas viáveis, com dados que mostrarão claramente que existem muitas outras possibilidades, não tão prejudiciais à região e que serão inclusive mais interessantes à concessionária e ao governo do estado”, declarou. “Já fiz esse esboço para eles na reunião de ontem mesmo, e agora vamos oficializar. Daremos duas ou três alternativas, e assim o consórcio, juntamente com o secretário Busatto, irão avaliar a viabilidade da mudança”, completa.

Entre as alternativas que serão apresentadas está a mudança para o quilômetro 2,5, na divisa entre Portão e São Sebastião do Caí (mais perto do atual pedágio), ou então para a RS-240, próximo à BR-116, na Scharlau. “Saímos da reunião bastante otimistas, sendo que os dirigentes do consórcio foram receptivos às nossas sugestões, e acredito ter aberto agora uma porta importante de diálogo”, comemora. “Percebemos que a empresa quer dialogar, e construir de forma conjunta uma alternativa para minimizar o impacto da praça do pedágio, e isso é um ponto muito positivo. Inclusive um dos diretores do consórcio sugeriu que nossa próxima reunião, que acontecerá entre agosto e setembro, tenha a participação de técnicos do BNDES, que foram quem, segundo o Governo do Estado, fez o estudo”, conclui o prefeito.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here