Em 8 de janeiro já tinham sido furtados fios (foto) e na madrugada de hoje o crime se repetiu, deixando Caí e Capela sem água - Crédito: Corsan

Os moradores de São Sebastião do Caí e Capela de Santana novamente estão sofrendo com a falta de água. Pela segunda vez, em menos de duas semanas, foram furtados fios junto a bomba de captação no rio Caí. Isso já tinha ocorrido no último dia 8 e repetiu na madrugada desta sexta-feira. Técnicos da Corsan estão trabalhando no local desde as 4 horas, com a colocação de novos cabos. A previsão é de religar os fios no meio da tarde e o abastecimento retornar ao normal no Caí durante a noite ou na madrugada de sábado. E na Capela deve demorar um pouco mais, com previsão entre a madrugada e início da manhã de sábado. Mas tudo depende do andamento do serviço.

É o segundo furto em questão de duas semanas que deixa as duas cidades sem água
– Crédito: Prefeitura

O engenheiro Angelo Marcelo Faro, da Corsan, explica que é um trabalho complexo. “Não é um cabo comum. Furtam por causa do cobre. O prejuízo é de mais de R$ 50 mil em cada furto. Fomos à Nova Petrópolis buscar os cabos”, ressalta. E como o consumo é grande por causa do intenso calor, os reservatórios estão vazios. Só no Caí são cerca de 9 mil casas, grande parte com reservatórios, o que implica em mais tempo para normalizar totalmente o abastecimento. E tem mais a Capela. A capacidade de tratamento é de 210 metros cúbicos por hora. A expectativa é que não tenha mais nenhum contratempo para que se possa o quanto antes retomar o fornecimento para a comunidade.

Mais segurança

A Corsan e a Prefeitura estão estudando formas de aumentar a segurança para evitar novos furtos. Segundo o gestor da unidade do Caí e Capela, Rafael Companhoni Machado, está se estudando um aditivo em contrato para a instalação de câmeras de vigilância junto à bomba de captação de água. Também serão concretadas as caixas em que estão os fios, para evitar o acesso dos criminosos. O engenheiro Marcelo Faro cita que serão colocadas duas cargas de pedras britadas sobre as tampas e também está sendo providenciado um sistema de alarme.

O prefeito Júlio Campani diz que fez contato com a Corsan no sentido de aumentar a segurança, já que tem uma empresa de vigilância contratada e instale câmeras de vigilância. “Nós vamos agilizar o processo licitatório para que possamos colocar câmera com maior abrangência, que pegue toda parte do cais do porto”, ressalta.

Em Montenegro já ocorreu problema semelhante com furtos de fios, junto da captação da água no rio, perto da antiga fábrica da Antarctica, três anos atrás. Foi reforçada a segurança no local com a colocação de grades e arame farpado, além de vigilância.

Sobre os furtos e receptadores dos materiais furtados, podem ser feitas denúncias, mesmo de maneira anônima, para os telefones 190 da Brigada Militar ou 197 da Polícia Civil.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here