Novos profissionais devem substituir as três médicas que retornaram para Cuba, mas em alguns municípios os médicos inscritos desistiram - Reprodução/FN

A demora para a substituição dos profissionais cubanos que deixaram o programa Mais Médicos tem prejudicado o atendimento a população em muitos municípios. E a situação é ainda mais preocupante porque vários médicos, que se inscreveram através do edital do programa Mais Médicos, agora acabaram desistindo de vir para os municípios da região. Isso ocorreu, por exemplo, em Maratá, Pareci Novo e São José do Sul.

A justificativa de médicos para desistir de trabalhar nos municípios da região seria a incompatibilidade de horários. Com isso, novas vagas foram abertas. Mas enquanto isso o atendimento já está sendo prejudicado. O prefeito Fernando Schrammel, de Maratá, que é também o presidente da Associação dos Municípios do Vale do Caí (AMVARC), lamenta a situação. Em Maratá não teve atendimento médico no Centro de Saúde na última quarta-feira e também nesta sexta-feira devido à falta do profissional que era para assumir e acabou desistindo. A Prefeitura busca contratar um profissional de maneira emergencial. “Médicos cubanos trabalhavam 40 horas e os municípios pagavam uma ajuda de custo de aluguel e alimentação. A Prefeitura tinha uma despesa de 2 a 3 mil reais. Para contratar um novo médico se gasta entre 15 e 20 mil reais. E isso para 20 horas”, compara Fernando, sobre a dificuldade enfrentada pelos municípios.

Os médicos têm até o próximo dia 14 de dezembro, sexta-feira, para se apresentar nos municípios. Em Pareci Novo os demais médicos ampliaram seus horários para não deixar a população desamparada. Já em São José do Sul um novo médico foi contratado de forma emergencial através do Consórcio Intermunicipal de Saúde (CIS/Caí). Enquanto isso, os municípios aguardam a chegada dos profissionais do Mais Médicos.

Tupandi já chegou

Em Tupandi já chegou o novo profissional do Mais Médicos. André Vinicius Vieira Maciel- veio do Ceará e já está trabalhando no município. Substitui a médica cubana Maytes Tirse Sogo, que por um ano e dois meses atuou em Tupandi.

Caí espera três médicos

Em São Sebastião do Caí, que tinha o maior número de cubanos atuando, são esperados três médicos até o próximo dia 14. A chegada dos três médicos inscritos, que vêm dos Estados do Ceará, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo, é aguardada para os próximos dias. Conforme a Prefeitura do Caí, não houve nenhuma informação de desistência dos três profissionais. Todos já foram contatados e devem se apresentar dentro do prazo. Enquanto isso, a Secretaria da Saúde tem remanejado escalas dos médicos que já atuam no município para garantir a normalidade do atendimento.

Deixe seu comentário