Só no ano passado os Bombeiros Voluntários trabalharam mais de 21 mil horas em 473 chamados da comunidade - Crédito: Bombeiros

No dia em que São Sebastião do Caí completa 146 anos de emancipação e é feriado do Dia do Trabalhador, neste 1º de maio também se comemora mais um aniversário dos Bombeiros Voluntários Caienses. A corporação tem o reconhecimento da comunidade pela grande credibilidade nos trabalhos prestados, salvado vidas e bem materiais. Em razão da pandemia, não poderá ser feito evento de comemoração, as é importante reconhecer o trabalho da quinta corporação mais antiga de bombeiros voluntários no Estado.

Trabalho dos bombeiros é reconhecido pela comunidade
– Crédito: Bombeiros

Cada vez melhor equipada e com grandes profissionais, no ano passado os bombeiros trabalharam 21.174 horas para atender 473 chamados, em diversos locais do município e da região. Só em 2020 atuou em 128 incêndios, 105 acidentes de trânsito, 118 atendimentos pré-hospitalar, além de 36 resgates e buscas, 23 salvamentos de animais e 63 outras ações. O comandante da corporação, Anderson Jociel da Rosa, destaca o crescimento da instituição ao longo dos últimos anos. E muitos outros projetos estão previstos, como aquisição de nova ambulância, qualificação dos voluntários, modernização da frota e equipamentos, ampliação do espaço físico, criação do Memorial dos Bombeiros Voluntários e de uma Escola de Formação.

Histórico

Anseio antigo da comunidade caiense, a história do Corpo de Bombeiros Voluntários de São Sebastião do Caí começou oficialmente com a criação da Sociedade Civil Corpo de Bombeiros Voluntários de São Sebastião do Caí em 13 de fevereiro de 1995. A entidade foi registrada em 12 de junho do mesmo ano e, em 1º de maio de 1996, teve o início de suas operações, com a inauguração de seu quartel, no antigo galpão do Grupo Folclórico Tapirapé, dentro do Parque Centenário, no bairro Vila Rica.

Bombeiros Voluntários do Caí têm uma das melhores estruturas do Estado
– Crédito: Bombeiros

A entidade foi criada para suprir uma lacuna na segurança pública municipal (atendimento na cidade dependia da vinda dos Bombeiros de Montenegro, que já naquela época era bastante demorado), e como a cidade crescia de forma pujante, uma corporação de bombeiros era uma necessidade real; Muitas tratativas e pedidos foram feitos ao estado para criação de um Corpo de Bombeiros com servidores estaduais, porém sem êxito.

Após uma comitiva Caiense, conhecer o serviço de bombeiros Voluntários que era realizado em Nova Prata e Nova Petrópolis surgiu a idéia de criação de um Corpo de Bombeiros Voluntários em São Sebastião do Cai;

O projeto iniciou com a doação de um caminhão da Alemanha, cidade de Haselune, e uma ambulância Veraneio, cedida pela Secretária Municipal de Saúde;). A Prefeitura Municipal, que sempre foi uma grande apoiadora, repassou valores financeiros para aquisição de equipamentos, uniformes e sistema de comunicação.Mais tarde teve a doação de viaturas do Exército (um caminhão Ford F-600 com tração 4×4 e uma caminhonete Rural Willis, também off-road).

As empresas Conservas Oderich e Calçados Azaléia, foram muito importantes durante o processo de criação e estruturação da entidade, auxiliando na captação de voluntários (muitos destes advindos de suas Brigadas de Incêndio). As empresas tiveram um papel tão importante que o primeiro presidente ( Selson Alves)  era o Técnico de Segurança da Azaléia e o primeiro Comandante ( Diorge Tonato) era o Técnico em Segurança do Trabalho da  Oderich.

Outro fato histórico ainda, é que antes da criação dos Bombeiros Voluntários, quem “apagava” os incêndios na cidade ( até a chegada dos Bombeiros Militares de Montenegro) era a Brigada de Incêndio da Oderich.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here