Construção inacabada de edifício no centro do Caí virou um "esqueleto", sendo inclusive palco de morte de jovem - Crédito: Google

Antes mesmo de tomar posse em 1º de janeiro, o prefeito eleito de São Sebastião do Caí, Julio Campani (PSDB), além de formar sua equipe de secretários e demais cargos, e atuar na transição, já está mantendo contatos visando melhorias importantes para o município.

RS 122 deve receber tachões nos trechos do Loteamento Popular e Vila São Martim, mas Júlio Campani pediu também passarelas
– Crédito: Guilherme Baptista/FN
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

Em vídeo nas redes sociais, que você pode conferir clicando aqui, Julio Campani informou que na semana passada participou de duas reuniões importantes. A primeira delas, através de videoconferência pela internet, juntamente com o deputado federal Lucas Redecker (PSDB), ocorreu reunião com o presidente da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), Urbano Schmitt. “Na oportunidade pedimos providências em termos de sinalização na RS 122, especificamente em dois pontos críticos da rodovia, na entrada da Vila São Martim e no trecho do Loteamento Popular. Houve promessa de sinalização diferenciada, inclusive com a colocação de tachões. Sabemos que o ideal seria a construção de duas passarelas, mas a EGR informou que a rodovia será privatizada (está no projeto de concessão do Governo do Estado). Foi sugerido que enviássemos ofício, a partir de 1º de janeiro, para que o pedido conste no edital do processo de privatização, para que a empresa vencedora construa as passarelas”, informou.

Júlio Campani participou de duas reuniões importantes nesta semana na busca por soluções para o Caí
– Arquivo/FN

Outra reunião importante, segundo Campani, ocorreu na última quarta-feira, dia 9, com o advogado Roberto Siegmann, procurador do grupo Profarma. “O grupo é proprietário do edifício inacabado no centro de São Sebastião do Caí. Depois de muitas tentativas finalmente fizemos uma reunião presencial”, destaca o prefeito eleito. Além de Júlio Campani, participou a vereadora Marília Leão Fortes, que será a coordenadora jurídica do novo governo. “Foi estabelecido um plano de ação para tentarmos resolver o problema deste esqueleto que tanto deixa feio o nosso centro da cidade. Esperamos ter solução para breve”, declarou o prefeito eleito.

Prédio no centro do Caí está com obra abandonada faz muitos anos e jovem morreu no local em setembro
– Crédito: Bombeiros do Caí

O edifício com a obra inacabada, na esquina das Ruas Floriano Peixoto e Tiradentes, é o mesmo aonde ocorreu uma tragédia no último dia 27 de setembro, quando morreu uma jovem de 20 anos, ao cair de uma altura de cerca de 15 metros. O edifício em construção onde ocorreu a morte está abandonado há muitos anos e vizinhos dizem que o local costumava ser frequentado por pessoas, principalmente mais jovens, sendo um grande risco devido à falta de segurança. Foram colocados tapumes nas aberturas para evitar a entrada de pessoas.

 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here