Crédito: Divulgação/FN

O Círculo de Pais e Mestres (CPM) e a comunidade em geral estão arregaçando as mangas para reconstruir a estrutura da Escola Estadual São José do Maratá. Uma das principais unidades de ensino de São José do Sul, ela sofreu um incêndio no dia 30 de junho. As chamas, que teriam sido causadas por um raio, atingiram a cozinha – sendo perdidos móveis e eletros – banheiros e o saguão de convivência.

Recentemente, um representante da Secretaria Estadual da Educação esteve na escola para conferir a situação. Conforme o diretor da unidade, professor Júlio Ricardo Hoerlle, um arquiteto contatado pelo CPM, juntamente com  responsável da 20º CROP da região, em Montenegro, estão realizando o projeto com todo memorial descritivo e planilha orçamentária para que o empenho da obra emergencial seja efetivado.

“Mesmo que este recurso venha, o CPM se responsabilizou por parte da obra, para que o empenho esteja no limite da dispensa de licitação, o que torna o processo menos burocrático”, afirma Hoerlle, que lamenta que alguns entraves técnicos estão atrasando o trabalho. “Primeiramente, todo projeto foi realizado no Sistema Nacional de Planilha Orçamentária, mas o Estado não aceita este custo orçamentário, é o único que utiliza outro software. Então, temos que contar com o representante da Secretaria de Obras do Estado para fazer essa adequação”, exemplifica o diretor.

Contudo, a mobilização da comunidade traz alento para alunos e professores. Os cartões do Drive Thru das Pizzas, mesmo com lote extra, esgotaram-se. Várias pessoas e empresas realizaram doações para a ação ocorrida nesse final de semana, além de materiais para a reconstrução da escola.

Crédito: Divulgação/FN

Populares ainda ajudaram na limpeza espaço atingido pelo incêndio, com a retirada de entulhos em vários dias de revezamento e observando os cuidados necessários.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here