Crédito: Cathierine Hoffmann/Divulgação

No último dia 5, uma comitiva formada pelo diretor de Agroindústrias Familiares da Bahia, Wanderley Gomes, o engenheiro José Jorge e os veterinários Paulo Henrique e Vanessa Fonseca esteve na prefeitura de Salvador do Sul para buscar informações sobre o Sistema Unificado Estadual de Atenção à Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte (Susaf). O Município foi o segundo no Vale do Caí a aderir ao programa, no ano de 2014.

Os baianos foram recebidos pelo prefeito Marco Aurélio Eckert (MDB) e pela secretária da Agricultura e Meio Ambiente, Gledes Forneck, além das veterinárias responsáveis pelo Serviço de Inspeção Municipal (SIM) e Susaf. O objetivo dos visitantes é criar uma plataforma de trabalho parecida em seu Estado.

Conforme eles, a Bahia tem uma política fiscal para as cooperativas usuárias do Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (SIPAF). Com o selo, são concedidos créditos presumidos do ICMS para fins de compensação com o tributo devido em operações ou prestações subsequentes.

A prefeitura de Salvador do Sul, referência no Susaf, caminha para a adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI), do Ministério da Agricultura. Desta forma, além da venda de produtos de origem animal e vegetal no Estado, possibilitada através do Susaf, a comercialização poderá ocorrer em todo território nacional. 

Deixe seu comentário