Vanda das Graças Almeida de Lima, de Alvorada, soube que após o seu nascimento a mãe biológica se mudou para Montenegro - Reprodução/FN

No final do mês passado a Rádio América recebeu algo raro nos dias de hoje. Em tempos de whatsApp, facebook e email, a emissora recebeu uma cartinha. Enviada pelo Correio e escrita de próprio punho, a carta traz um pedido para a realização de um desejo que é um verdadeiro sonho de Natal. Uma moradora de Alvorada, de 41 anos, pede ajuda para encontrar a sua mãe biológica, que ela até hoje não conhece. As poucas informações que recebeu é que a mãe teria o nome de Tereza, teria outra filha que se chamaria Adriana e que após o seu nascimento foi morar em Montenegro.

Vanda das Graças Almeida de Lima conta que faz uns seis anos que ficou sabendo que foi adotada. “Desde o momento que soube desejo muito encontrar a minha mãe biológica. Mesmo que ela não tenha ficado comigo quando eu nasci, quero muito conhecê-la”, afirma.

Vanda enviou carta para a Rádio América com o sonho de conhecer a sua mãe
– Reprodução/FN

Vanda diz que sua irmã de criação, Maria Elvani de Almeida, conheceu a mãe biológica. “Conheceu ela quando estava grávida e disse para minha irmã que queria dar a criança. Daí falou com minha mãe de criação, Maria Dilce de Almeida, que quis ficar comigo”, diz. “Nasci no Hospital Santa Casa, de Porto Alegre, em 31 de julho de 1978. Minha mãe biológica não me deu nome. Foram meus pais de criação que me registraram”, descobriu. “Minha irmã de criação, Vani, disse que após o parto, minha mãe foi morar em Montenegro. Só sei o primeiro nome dela: Tereza. E que ela tem outra filha, de nome Adriana”, completa.

A moradora de Alvorada, que acredita que sua mãe biológica ainda possa morar em Montenegro, pediu para que sua história seja divulgada. “Também sou mãe. Quero muito conhecer a minha mãe biológica”, declarou. Ela deixou o seu contato e também os telefones de seus dois filhos, com a esperança de que alguém tenha alguma informação que a leve a concretizar o seu sonho.

Em outras ocasiões, através da parceria entre Fato Novo e Rádio América, a reportagem conseguiu localizar familiares que estavam distantes e fazia muitos anos que não se viam. Foram assim entre mãe e filha, irmãs, filha e pai, entre outros. No caso de Vanda é um pouco mais difícil, já que ela não foi registrada no nome da mãe biológica, o que dificulta a pesquisa pelas identidades e nascimentos do Estado. E também não sabe o sobrenome da mãe. Mas através da divulgação pode se chegar à mãe, Tereza, na filha, Adriana, ou em algum outro parente ou pessoa que tenha alguma informação sobre ela. Também pela própria semelhança física, vendo a foto de Vanda. Qualquer informação pode entrar em contato pelo facebook ou pelo fone whats 998234869.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here