Vacina é uma forma importante de prevenir a doença - Internet/Reprodução

A secretária municipal de saúde de Montenegro, Cristina Reinheimer, descarta a ocorrência de epidemia de meningite em Montenegro. “Ocorreu um único caso, sem risco de epidemia”, ressalta. Ela cita que houve o caso de uma criança de 13 anos, confirmado como de meningite bacteriana. Mas garante que todas as providências foram tomadas. “Não é uma bactéria transmissível com muita facilidade. Só através de contato. Por isso não teve a necessidade de isolamento. Foi dada a medicação por profilaxia para familiares próximos”, completa.

Conforme informações, o estudante que contraiu a doença está bem, em tratamento no Hospital Montenegro. A direção, professores e funcionários da Escola Estadual Manoel de Souza Moraes, através de sua página no facebook, onde estuda a criança, informou que está agindo conforme todas as orientações dos órgãos responsáveis. A Vigilância Epidemiológica informou que a bactéria meningococo não fica no ar e que não há necessidade de preocupação demasiada, já que se trata de um caso isolado e não de um surto. As aulas na escola foram suspensas na sexta-feira e só retornam na próxima terça-feira.  Por precaução foi sugerido aos pais que, em caso de febre, dor de cabeça e rigidez da nuca, procure um atendimento médico.

Não existe mais nenhum caso de meningite confirmado. Na Escola Estadual Januário Corrêa chegou a ser cancelado um evento previsto para o último sábado porque tinha a suspeita de que um aluno tivesse contraído meningite. Mas como, através de exames, a doença não foi confirmada, as aulas continuam normalmente.

A secretária da saúde Cristina Reinheimer destaca a importância de manter a vacinação das crianças em dia, o que previne também contra a meningite. A Secretaria Municipal de Saúde emitiu um Informe Epidemiológico informando sobre os procedimentos adotados e que o menino recebeu o tratamento adequado. Foi lembrado, ainda, que já ocorreram outros casos de meningite meningocócica em Montenegro, em anos anteriores, inclusive com mortes, mas não há surto no município desde 2003.

Quais são os sintomas da meningite?

A meningite é uma síndrome na qual, em geral, o quadro clínico é grave, por isso no momento em que achar que você ou alguém pode estar com sintomas de meningite deve procurar atendimento médico o mais rápido possível. Um médico pode determinar se você tem a doença, o tipo de meningite e o melhor tratamento.

Os sintomas da meningite incluem início súbito de febre, dor de cabeça e rigidez do pescoço.

Muitas vezes há outros sintomas, como:

  • Mal-estar
  • Náusea
  • Vômito
  • Fotofobia (aumento da sensibilidade à luz)
  • Status mental alterado (confusão)

Com o passar do tempo, alguns sintomas mais graves de meningite bacteriana podem aparecer, como: convulsões, delírio, tremores e coma.

Como a meningite é transmitida?

Na meningite bacteriana, geralmente, a transmissão é de pessoa a pessoa, por meio das vias respiratórias, por gotículas e secreções das vias aéreas superiores (do nariz e da garganta). Já na meningite viral a transmissão é fecal-oral.

Como prevenir a meningite?

A meningite é uma síndrome que pode ser causada por diferentes agentes infecciosos. Para alguns destes, existem medidas de prevenção primária, tais como vacinas e quimioprofilaxia. As vacinas estão disponíveis para prevenção das principais causas de meningite bacteriana. As vacinas disponíveis no calendário de vacinação da criança do Programa Nacional de Imunização são:

  • Vacina meningocócica conjugada sorogrupo C: protege contra a Doença Meningocócica causada pelo sorogrupo C;
  • Vacina pneumocócica 10-valente (conjugada): protege contra as doenças invasivas causadas pelo Streptococcus pneumoniae, incluindo meningite.
  • Pentavalente: protege contra as doenças invasivas causadas pelo Haemophilus influenzae sorotipo b, como meningite, e também contra a difteria, tétano, coqueluche e hepatite B.
  • BCG: protege contra as formas graves da tuberculose.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here