Projeto já foi apresentado, mas obras ainda não foram executadas - Arquivo/FN

O governador eleito Eduardo Leite (PSDB), antes mesmo de vencer a eleição do último domingo, já tinha defendido a extinção da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). Para o governador eleito, a EGR não deveria existir nessa formatação.

Em entrevista ao Fato Novo, durante visita a Montenegro e região, Eduardo Leite defendeu um grande programa de concessões de estradas à iniciativa privada. Ele entende que, como o Estado não tem dinheiro, é a única forma de viabilizar os investimentos necessários em estrutura que ampliem e melhorem a manutenção das estradas estaduais.

Vários acidentes já ocorreram na rodovia, que necessita de mais segurança
– Arquivo/FN

A preocupação é que justamente a EGR assumiu o trecho de 7 quilômetros da zona urbana de Montenegro, desde o trevo do Shell até o antigo Frigonal no Passo da Serra. É o trecho mais crítico, principalmente entre os bairros Panorama e Santo Antônio, que tem registrado inúmeros acidentes, inclusive com mortes. Vários foram os protestos e reuniões. O município chegou a adquirir sinaleiras para serem instaladas. O caso foi parar na Justiça. Como o Daer não fazia os investimentos necessários, o trecho foi passado para a EGR, visando aproveitar recursos do pedágio do Portão. Foi assinado um convênio com o município, no final do ano passado. A Prefeitura repassou R$ 200 mil para a elaboração do projeto, que inclui rótulas, vias laterais, sinalização e repavimentação. Mas até o momento a obra não saiu do papel. E se confirmar a extinção da EGR, o temor da comunidade é de que tudo volte a “estaca zero”.

O vereador Joel Kerber (PP), que foi um dos principais defensores para a EGR assumir o trecho e que apoiou a candidatura de Eduardo Leite, acredita que a obra está garantida. “Está saindo a ordem da EGR para a preparação do edital das obras. Serão feitas primeiros as rótulas do Ipiranga e da Renauto”, aposta. Joel entende que o projeto vai continuar e as obras serão realizadas. “Independe do novo governo”, afirma. Entretanto, Kerber admite que devido ao processo de licitação, deve demorar pelo menos dois meses para o início da execução dos trabalhos. Portanto, só deve começar no próximo ano, quando já terá o novo governo. Ele promete manter contatos com o governador eleito e sua equipe, no sentido de garantir as obras na RSC 287.

Melhorias na ERS 411

Joel Kerber, acompanhado da vereadora Josi Paz (PSB) e do prefeito Kadu Müller (SD), esteve ontem, terça-feira, recebendo o superintendente regional do Daer, Fabiano de Oliveira Pereira, da 11ª Superintendência Regional de departamento. Eles conferiram as obras de melhorias na ERS 411, que liga Montenegro a Brochier e Maratá, e que estava bastante esburacada.

Através da empresa Giovanella, está sendo feita a fresagem e recapeamento de trechos mais críticos, num investimento de cerca de R$ 1 milhão.

Deixe seu comentário