Índios Kaingangs estão com acampamento em área do Estado, próximo ao Parque Centenário, onde querem ficar em definitivo - Crédito: Guilherme Baptista/FN

Na tarde desta quarta-feira, dia 30 de outubro, às 14h, na Câmara de Vereadores de Montenegro, acontece uma reunião para tratar sobre a ocupação de uma área do bairro Centenário por índios da tribo Kaingang. O encontro foi proposto pelo vereador Juarez Silva e aprovado pelos demais vereadores.

Juarez Silva (PTB) diz que junto com o vereador Felipe Kinn (MDB) foi procurado por moradores do bairro Centenário, que residem perto da área ocupada pelos índios. Os dois vereadores participara de um encontro com os moradores, os quais alegaram questões como de saúde, meio ambiente, lixo e alagamentos. Em razão disso, foi solicitada uma reunião na Câmara. Devem participar do encontro representantes da Prefeitura e moradores. “Os índios foram colocados numa área urbana”, afirma Juarez, sobre a preocupação dos moradores e entendendo que está ocorrendo um choque de culturas, além das condições sanitárias. O vereador diz que depois deverá ser feita uma nova reunião, desta vez em Porto Alegre, com representantes do Governo do Estado e de entidades representantes dos índios, como a Funai.

A ocupação

No final do ano passado e início de 2019 começaram a se instalar em Montenegro índios da tribo Kaingang. Vindo de reservas de Carazinho e Redentora, na região norte do Estado, gostaram da cidade onde passaram a vender seu artesanato feito principalmente a base de cipó trançado, encontrado em matas do município. A justificativa para trocar de região foi à busca de novos mercados, já que estava muito difícil comercializar o artesanato indígena e arrumar serviço no norte gaúcho.

Inicialmente montaram acampamento na margem da RSC 287, próximo ao posto Ipiranga, na altura do bairro Santo Antônio. Mas o local era uma área particular, com alagamento e aonde se formou uma grande cratera, colocando em risco principalmente a vida das crianças. Iniciou então a busca por outro local para a aldeia. A alternativa foi então a área do Estado, no bairro Centenário. O local é a área de um antigo campo de futebol, na esquina das ruas Vereador João Vicente e Simões Lopes Neto, entre a Escola Estadual AJ Renner (Industrial) e a nova creche em construção perto do Parque Centenário. No local costumava ter acampamentos de ciganos, além de circo.

Os índios gostaram do novo local, onde já informaram que pretendem ficar em definitivo. Já foram feitas instalações de água e luz. Também foi colocado um contêiner para recolher o lixo. A Prefeitura fez a doação de duas fossas que serão utilizadas na construção de banheiros. Inclusive mais famílias também montaram barracas. O cacique Eliseu Claudino destacou que tem documento, através de cadastro de imóveis, permitindo a ocupação da área, além do apoio da Funai. Citou ainda que deve ser construída uma escola de educação indígena, para as crianças da tribo. Uma igreja evangélica foi erguida junto à tribo e a comunidade tem auxiliado com doações.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here