Estacionamento rotativo pago vai começar a funcionar até 17 de fevereiro, aumentando o número de vagas no centro de Montenegro - Crédito: Guilherme Baptista/FN

A partir de fevereiro quem estacionar no centro de Montenegro e não pagar estará sujeito a multa e até guincho.

A empresa Serbet Sistema de Estacionamento Veicular do Brasil, vencedora da licitação, tem até 17 de fevereiro de 2020 para a implantação do Estacionamento Rotativo Pago na área central do município. O prazo é de 90 dias desde a assinatura do contrato. Antes de começar a cobrança, deve ser feita a demarcação e numeração das 1.160 vagas, que depois podem ser ampliadas em mais 500, além do treinamento dos monitores e instalação de 17 parquímetros.

Os pagamentos, além de para monitores e parquímetros, também poderá ser feito através de aplicativo em smartphones, e em estabelecimentos comerciais.

Denominado “Zona Azul”, o estacionamento rotativo pago abrange a área central do município e oferece permanência máxima diária de duas horas por vaga. Portanto, mesmo que pague 2 reais pela hora estacionada, depois o motorista terá que estacionar em outra vaga, já que o estacionamento é rotativo.

Antes da cobrança será feito também um amplo trabalho de divulgação e orientação. Motos estarão isentas, desde que estacionadas em locais delimitados. Também isenções estão previstas para idosos e deficientes físicos, desde que cadastrados. Para vagas de gastronomia itinerante, bem como caçambas de entulho, há modalidade de valor diário, desde que ambas situações estejam devidamente regularizadas.

Cronograma de implantação do estacionamento foi explicado pela Prefeitura e empresa responsável
– ACOM/Prefeitura

Na última terça-feira, o prefeito Kadu Müller, acompanhado do novo secretário municipal de Obras Públicas, Marcus Vinícius Dutra; do Diretor de Departamento de Transporte e Trânsito, Airton Vargas; e do Diretor Executivo da empresa Serbet Sistema de Estacionamento Veicular do Brasil, Alano Branco, deram informações sobre o cronograma de entrada em funcionamento do estacionamento rotativo pago.

O estacionamento rotativo pago vai retornar cerca de cinco anos após o fim da Faixa Nobre. A maior dificuldade enfrentada anteriormente foi justamente a falta de fiscalização e a inadimplência, já que os motoristas não pagavam, o que tornou o sistema deficitário. Agora terá uma maior fiscalização. Como a Guarda Municipal ainda não está habilitada para atuar no trânsito, foi acertado um convênio com a Brigada Militar., que utilizará motos da patrulha comercial.

Os motoristas terão uma tolerância inicial de 10 minutos. Depois já inicia a cobrança. Caso não pague, tem até 24 horas para regularizar, pagando 20 reais de taxa e mais o horário devido. Se não regularizar, leva multa prevista no artigo 181 do Código de Trânsito, de R$ 195,23, mais a perda de 5 pontos na carteira de habilitação e pode ser guinchado. Portanto, o prejuízo acaba sendo alto. Os próprios monitores vão avisar os policiais militares quando veículos estiverem em situação irregular.

Cidade fantasma

No início do funcionamento do estacionamento rotativo pago a cidade deverá ter um esvaziamento no centro. Os motoristas devem procurar locais mais distantes para evitar o pagamento. Com isso devem sobrar vagas na área central, que é justamente o que não acontece atualmente. O centro está congestionado. Muitos motoristas chegam a ocupar as vagas o dia inteiro, como se fosse “garagem”, o que prejudica o próprio comércio, além daqueles que mais necessitam. O objetivo é justamente democratizar as vagas, com uma maior rotatividade. E por isso a necessidade de cobrança.”Entre fevereiro, março e abril vai virar uma cidade fantasma”, projeta o diretor de trânsito Airton Vargas, com base no que aconteceu em outros municípios que adotaram o mesmo sistema. Mas depois os usuários vão se acostumando.

Por isso a importância de implantar numa época de menor movimento, para serem feitos os devidos ajustes e orientações. Em fevereiro muita gente deixa a cidade devido ao período de férias. Foi neste período que, tempos atrás, ocorreram mudanças como de implantação de binários de mão-única, o que na época gerou uma certa resistência, mas depois os motoristas se acostumaram. “Se hoje tem uns 3 mil carros estacionados no centro, vai ter uns 200”, calcula Airton, sobre o esvaziamento quando começar a cobrança. Mas ele ressalta que a comunidade vai sentir logo os benefícios, com uma melhor organização e segurança no trânsito do centro.

A empresa vencedora do certame terá que repassar ao Município 22,53% do arrecadado no estacionamento rotativo. O contrato é de 5 anos. Portanto, o município terá retorno também financeiro para investir em melhorias.

Dias e horários de funcionamento

De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h. Aos sábados, das 8h às 12h.

Ruas em que será cobrado estacionamento:

  • Rua Ramiro Barcelos – entre as esquinas com Antônio Marques e Fernando Ferrari;

 

  • Rua João Pessoa – entre as esquinas da Rua Santos Dumont e da Fernando Ferrari;

 

  • Rua Capitão Cruz – entre as esquinas da Rua Santos Dumont e da Fernando Ferrari;

 

  • Rua Santos Dumont – entre as esquinas da Rua Capitão Cruz e da João Pessoa;

 

  • Rua Osvaldo Aranha – entre as esquinas da Rua Capitão Cruz e da João Pessoa;

 

  • Rua Olavo Bilac – entre as esquinas da Rua Capitão Cruz e da João Pessoa;

 

  • Rua São João – entre as esquinas da Rua Capitão Cruz e da João Pessoa;

 

  • Rua José Luiz – entre as esquinas da Rua Capitão Cruz e da Dr. Flores.

 

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Isso é mais uma forma do governo ganhar em cima do povo trabalhador. Assim como em São Leopoldo, onde a tolerância de 10 minutos não dá tempo de se fazer praticamente nada, obrigando o motorista ao pagamento ou a penalização com multa. Um verdadeiro absurdo.

  2. Demorou… hj temos de pagar 4 reais so pra ir no Banco usando 15 minutos,pagando por duas horas… piorar não vai! Eu apoio.

  3. Acho uma boa iniciativa, mas existe uma demanda tão importante quanto essa, que não é atendida pela administração. O planejamento do trânsito na cidade, que ainda é muito desorganizado. Podemos citar como exemplo as faixas de pedestres em baixo das sinaleiras, principalmente onde não há sinaleira de pedestre, que dificultam muito a visualização do transeunte. As faixas deveriam ser recuadas em relação à sinaleira. Outro exemplo da desorganização no trânsito, são as ruas de mão dupla que se tornam mão única após um cruzamento, isso causa um grande transtorno ao trânsito, pois as sinaleiras nesses cruzamentos ficam abertas por um período muito curto de tempo, pois abrem e fecham em três tempos e também traz riscos para o trânsito, pois não é raro vermos um veículo se confundir e pegar a contramão. As ruas transversais deveriam ser de mão única em toda a sua extensão, no centro e deveriam ser proibidas as conversões para acessar essas transversais, havendo necessidade de dar a volta na quadra para cruzar as ruas principais. Essas e outras mudanças trariam muito mais segurança no trânsito e qualidade de vida para os cidadãos.

Deixe uma resposta para Luis Oliveira Cancelar resposta

Deixe um comentário
Please enter your name here