Banheiros público junto ao cais estão em estado lastimável - Guilherme Baptista/FN

Vidros quebrados, cadeados e grades arrombados. Dentro dos banheiros a situação é ainda pior. Lixo e muita imundice em meio a vasos sanitários quebrados.

Local foi alvo de atos de vandalismo
– Guilherme Baptista/FN

Os banheiros públicos da beira do rio, junto ao cais do porto, na rua Álvaro de Moraes, ao lado da Câmara de Vereadores de Montenegro (antiga usina), estão sem nenhuma condição de uso. Alvo de atos de vandalismo, hoje estão em situação lastimável, de total descaso e abandono. Usuários da beira do rio, que freqüentam o calçadão do cais do Porto das Laranjeiras, atualmente não dispõem de banheiros públicos. O local é bastante freqüentado, principalmente nos finais de semana, quando grupos de amigos e familiares se reúnem junto ao cais para tomar chimarrão, curtir a paisagem, o belo pôr do sol, o rio e os barcos. Também os que costumam caminhar ou correr pelo calçadão.

Portas e grades foram arrombadas
– Guilherme Baptista/FN

Quando ocorreu a restauração da antiga Usina Maurício Cardoso, onde inicialmente o espaço foi ocupado pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio, e depois pela Câmara de Vereadores, também foi recuperado o espaço ao lado. No local chegou a funcionar o Bar do Cais e também uma agência de turismo. Na frente tem inclusive objetos que destacam a ligação com a navegação, como leme, ancora e hélice de barcos. Quem ocupava o prédio era responsável também pela manutenção dos banheiros. Mas depois que o local ficou desocupado, não só o prédio caiu no abandono, mas principalmente os banheiros.

De quem é a responsabilidade?

O impasse é sobre de quem é a responsabilidade em manter os banheiros públicos e o prédio situado na beira do rio, ao lado da Câmara.

Prefeitura e Câmara de Vereadores: impasse sobre de quem é a responsabilidade sobre o prédio
– Guilherme Baptista/FN

Para o presidente da Câmara, vereador Erico Velten (PDT), a responsabilidade é da Prefeitura. “O imóvel não foi passado para a Câmara. Estamos analisando a situação, mas entendo que a Prefeitura deveria assumir a sua manutenção”, afirmou Erico. Sobre a um pedido de cedência do local para ser aproveitado pela Câmara, Erico diz que primeiro tem que se reunir com os demais vereadores para estudar esta possibilidade.

O prefeito Carlos Eduardo Müller, o Kadu (Solidariedade), diz que no início do ano houve uma conversa no sentido do prédio ser aproveitado como sede da 15ª Região Tradicionalista. Depois cita que houve uma manifestação da Câmara de Vereadores no sentido de aproveitar o local como sala de reuniões. “A Câmara tem que decidir se quer ou não o prédio. Do jeito que está não pode continuar”, declarou Kadu.

O vereador Cristiano Von Braatz (MDB) lamenta a situação e diz que a comunidade não pode ficar sem banheiros em locais de movimentação como o cais do porto e a Pracinha dos Ferroviários. “Isso gera uma situação constrangedora”, cita, sobre o fato das pessoas não terem onde fazer as necessidades. Para a Pracinha dos Ferroviários existe projeto para a construção de banheiros. Cristiano propôs que a Prefeitura alugue banheiros químicos para os dois locais, até ter a construção na Pracinha dos Ferroviários e a reforma e manutenção na beira do rio. Ele entende que não seria gasto, mas investimento no bem estar da comunidade.

Deixe seu comentário