Imagem ilustrativa

Durante o patrulhamento tático motorizado, na madrugada deste sábado, dia 19, em torno de 2 horas, os policiais militares avistaram um veículo transitando pelo acostamento em alta velocidade. Então a guarnição da força tática aproximou-se para efetuar a abordagem, fazendo uso de giroflex e sirene. Entretanto, os PMs citam que condutor do veículo ignorou a ordem de parada e iniciou fuga, em alta velocidade, fazendo arrancada brusca e manobras perigosas.

O automóvel foi acompanhando por cerca de 5 quilômetros, sendo possível abordá-lo somente no interior do bairro Rui Barbosa, quando perdeu o controle do veículo por um instante e parou. Os PMs ordenaram que o motorista descesse do carro e colocasse a mão na cabeça, mas ele não obedeceu. Conforme os policiais foi então necessário fazer o uso moderado da força para proceder a abordagem e busca pessoal, uma vez que o indivíduo encontrava-se bastante exaltado. A partir deste momento, os PMs citam que ele começou a proferir ofensas, dizendo que tinha influências dentro da Polícia e que iria acabar com a vida dos policiais e que os mataria quando estivesse de folga.

Ao ser conduzido para viatura, os policiais informam que o acusado continuou resistindo, inclusive desferindo chutes na porta da viatura policial. Foi oferecido o teste do etilômetro, o qual foi recusado. No interior do carro os soldados citam que foi encontrada uma garrafa de Whisky e duas garrafas de cerveja pela metade. Além disso, segundo a Brigada, o acusado estava com hálito etílico forte, bastante exaltado e vestes desalinhadas. O veículo foi removido ao depósito do Detran e o acusado conduzido ao Hospital Montenegro para Laudo. Durante o atendimento, os PMs afirmam que o acusado tentou agredir a equipe, fato esse presenciado pelos atendentes do hospital. Após foi encaminhado para a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), onde foi lavrada a prisão em flagrante por embriaguez ao volante, desobediência e desacato. Após pagamento de fiança de 3 mil reais, arbitrada pela autoridade policial, ele ganhou o direito de responder ao processo em liberdade.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here