Projeto de doação foi aprovado na Câmara e pode gerar mais investimentos, mas moradores prometem recorrer na Justiça alegando dificuldade de acesso as suas propriedades - Reprodução/FN

Em sessão realizada no último dia 22 de outubro, a Câmara de Vereadores de Montenegro, em regime de urgência, aprovou um projeto que concede incentivos à empresa Agrogen (Vibra). O auxílio consiste na doação do trecho de uma estrada que corta duas propriedades da empresa. O projeto foi aprovado por 6 votos a 3, sendo que o presidente da Câmara não vota esse tipo de proposta.

Conforme o projeto, a Agrogen vai receber uma área de 2,09 hectares, na localidade de Vendinha, entre a Estrada Antônio Carlos Fernandes Rosa e a ERS 124. Na localidade a empresa possui onze núcleos de aviária e a via pública corta a propriedade. A justificativa para a integração de toda a propriedade, é de que o Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA), através de decreto federal, veda a movimentação de pessoas, carros e animais entre as unidades. A Prefeitura então encaminhou o projeto, alegando que é necessário eliminar o trânsito de terceiros na estrada que corta a propriedade. Além disso, com a doação da área, a empresa poderá aumentar a capacidade de alojamento e produção da granja em até 42%, permitindo um aumento de produção de 2 milhões de matrizes ao ano, num incremento de R$ 45 milhões no faturamento e de R$ 2 milhões na arrecadação de ICMS, além de gerar mais empregos. Em contrapartida a doação da área, a empresa ainda se comprometeu em investir cerca de R$ 70 mil em melhorias na Escola Municipal Belo Faustino dos Santos, da localidade de Fortaleza.

Moradores da Vendinha e Calafate alegam prejuízos no acesso para suas propriedades
– Reprodução/FN

Além do aumento na produção, empregos, geração de ICMS e melhorias na escola, a maioria dos vereadores votou favoravelmente ao projeto por temer perda de investimentos, inclusive com risco de a empresa deixar o município, o que causaria um grande prejuízo. Por outro lado, um grupo de moradores alega que, com o fechamento da estrada, será prejudicado o acesso para suas propriedades. Os moradores afirmam que não ocorreu sequer uma audiência pública, a qual teria sido prometida, para discutir o projeto. “Fomos surpreendidos. Pelo acordo teria antes uma audiência pública”, diz Juarez Paulo Scheid, que tem propriedade na localidade de Vendinha. Diz que várias famílias de agricultores, da Vendinha e Calafate, serão prejudicados. Segundo ele, caso se confirme o fechamento da estrada, terá que fazer uma volta de mais de dez quilômetros, além de dificultar o trânsito de trator, que é proibido em rodovia. Juarez diz que foi feito um abaixo-assinado e na última quinta-feira ingressou no Ministério Público. “Vamos mover uma ação para impedir o fechamento da estrada”, afirma.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here