Prefeitura obteve liminar na Justiça para que o atendimento fosse manido - Arquivo/FN

Em entrevista, hoje pela manhã, sexta-feira, na Rádio América, o prefeito Kadu Müller falou sobre o impasse envolvendo Prefeitura e Unimed Vale do Caí quanto ao plano de saúde dos servidores municipais de Montenegro. Conforme Kadu, houve um desacerto entre as partes na questão do reequilíbrio financeiro. Como a Unimed entendeu que o serviço estava descoberto, o atendimento chegou a ser interrompido. Mas a Prefeitura entrou na Justiça e conseguiu uma liminar garantindo o atendimento aos municipários através do plano de saúde.

A Unimed Vale do Caí confirmou que devido à liminar, emitida pela Justiça na quarta-feira, dia 19, os atendimentos aos usuários do plano de saúde da prefeitura de Montenegro estão normalizados. São cerca de 3.500 usuários do plano, entre titulares e dependentes, num custo mensal de em torno de R$ 1 milhão, que é dividido entre as partes. O serviço é prestado pela Unimed desde 2012, quando foi realizada licitação para um período de 5 anos. Venceu no ano passado, mas como não houve nova licitação o contrato foi prorrogado por duas vezes, de forma emergencial, vencendo no último dia 27 de agosto.

De acordo com o prefeito, estava acordado com a Unimed um contrato emergencial de mais 90 dias, já que a licitação ocorrerá no próximo dia 4 de outubro. Kadu cita que surgiu um fator novo, que não pode tornar público, o qual acabou gerando o impasse. Cita que a negociação envolve altos valores, mas acredita que tudo estará resolvido nos próximos dias.

No município, já faz muitos anos, existe o Fundo de Assistência à Saúde (FAS), criado para custear despesas com plano de saúde aos servidores. Para o Fundo contribuem o município e os servidores concursados, que têm descontados mensalmente 8% dos seus vencimentos, compulsoriamente. Para os dependentes é descontado mais um valor extra, de acordo com a faixa etária.

Deixe seu comentário