Diego Moreira era muito ligado ao tradicionalismo e bastante estimado - Facebook/Reprodução

Mais uma vez a comunidade de Montenegro está abalada pela perda precoce de um montenegrino. É grande a repercussão pela morte de Diego Moreira, de 29 anos.

Diego faleceu nesta quinta-feira, dia 14. Vendedor de automóveis, também era muito ligado ao tradicionalismo. Familiares e amigos estão muito consternados pela perda do rapaz que era bastante estimado e conhecido.

São muitas as manifestações e homenagens nas redes sociais. O velório, na capela mortuária São João da Funerária Vargas, está previsto para iniciar por volta de 21h30. E o sepultamento está previsto para amanhã de manhã, às 10h.

Depressão

Em sua página no facebook, Diego escreveu no início desta semana sobre depressão. “Depois que perdi meu pai, minha mãe entrou em depressão profunda e eu sempre achava que isso era coisa de gente fraca, psicológico fraco. Então eu bati de frente com ela e aí… Aí eu vi que é coisa braba. É uma guerra interna nos puxando pra baixo, uma dor, um vazio no peito que nada que faça ajuda, vontade de ficar só e ao mesmo tempo medo da solidão, uma série de sentimentos confusos que vai nos matando a cada hora, cada dia que passa. Dá medo! Medo de perder essa luta…”, escreveu Diego. Ele mesmo citou que sempre estava rindo e brincando com todo mundo, mas que estava tentando disfarçar o que sentia. A postagem recebeu 265 comentários até a tarde de hoje. No início muitos tentando ajudá-lo e demonstrando preocupação, relatando casos de depressão que passaram ou tiveram na família e conhecidos, se solidarizando e pedindo para que procurasse ajuda. Diego chegou a agradecer as mensagens de apoio. Mas depois as mensagens passaram a ser de pesar.

Grazy Britto, que perdeu o marido, o soldado Eduardo Pinto, de 34 anos, em julho do ano passado, também em decorrência da depressão, fez uma postagem na tarde de hoje. “Você me procurou tanto, queria ajuda, mas essa doença maldita mais uma vez venceu…Meu coração novamente se parte, hoje por um grande amigo que se foi”, escreveu, lembrando o quanto Diego a fazia rir quando não estava bem. “Tem que haver uma cura pra essa maldição. A doença mais traiçoeira e grave dos últimos tempos!”, concluiu.

Sobre a depressão, é uma doença psiquiátrica, crônica e recorrente, que produz uma alteração do humor caracterizada por uma tristeza profunda, podendo levar a morte, ou ser a causa dela, como no caso do suicídio. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), até 2020, a depressão será a segunda maior causa de morte mundial por doença, ficando apenas atrás de males cardíacos. É preciso entender que a depressão não é apenas uma tristeza passageira, é uma doença. Por isso a necessidade de tratamento, com o auxílio de profissionais especializados que podem inclusive receitar medicamentos. De acordo com a psicanalista montenegrina Adriana Bandeira, as demandas do trabalho e dos ideais de felicidade muitas vezes colocam a possibilidade da existência verdadeira como impossível. A preocupação com os casos é tão grande que foi criado o Setembro Amarelo – uma campanha de prevenção do suicídio, que destaca como tema “Falar é a melhor solução”. Afinal, é uma questão de saúde pública, que leva muitas pessoas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here