Obra foi interrompida em outubro do ano passado deixando a rodovia em péssimas condições - Arquivo/FN

Moradores e usuários das rodovias ERS 411, no trecho da Costa da Serra, e da RSC 287, entre os bairros Panorama e Santo Antônio, em Montenegro, que aguardam há muito tempo por obras, estão organizando um grande protesto para esta semana. A mobilização, segundo lideranças, está prevista para o final da tarde da próxima sexta-feira, dia 17, a partir das 17h. Se o bloqueio dos trechos for confirmado neste dia e horário, é justamente quando tem mais movimento nas rodovias, o que deve causar congestionamento e transtornos. Mas para os organizadores é o único jeito de chamar a atenção do Governo, já que consideram que até agora nenhuma providência foi tomada, deixando a população em grande perigo.

Airton Quadros, que é líder comunitário do bairro Panorama, e Claudiomiro Tomasi, o “Gringo”, da Costa da Serra, confirmam que o movimento deve ocorrer na próxima sexta-feira. Segundo eles, será no mesmo horário, tanto na 287 como na 411, com o bloqueio das rodovias. Eles destacam que estão sendo convidados não só moradores e usuários das estradas, mas também escolas, empresas e comunidade em geral, já que todos são afetados  pelo estado das rodovias. E citam que vão solicitar o apoio da Polícia Rodoviária Estadual e da Brigada Militar, para garantir a segurança.

Abandono na Costa da Serra

Moradores e usuários da rodovia abandonada fizeram mutirão na manhã deste sábado
– Guilherme Baptista/FN

A situação da ERS 411 é muito precária. Em setembro do ano passado foram iniciadas obras em alguns pontos da localidade de Costa da Serra, com a retirada do asfalto. Só que no mês seguinte, em outubro, a obra foi abandonada sem a colocação de novo asfalto. Com isso virou estrada de chão, com buracos, desníveis, lama e poeira, além do risco de acidentes. Na semana passada uma pessoa ficou ferida em acidente e por pouco não ocorreu uma tragédia. Na manhã do último sábado alguns moradores, com tratores e enxadas, taparam buracos e buscaram melhorar as condições precárias do trecho. O Daer alega que já pagou as pendências com fornecedor de asfalto e com empreiteira. E que solicitou para a empresa responsável a retomada da obra, o que até agora não aconteceu.

Só promessas na 287

Movimento é intenso e acidentes são diários na RSC 287
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

Já o trecho de 7 quilômetros da travessia urbana das RSC 287, entre o trevo do Posto Shell até o trevo do Frigonal, desde dezembro de 2017 está sob a responsabilidade da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). Um projeto, incluindo rotatórias e vias laterais, foi apresentado, mas até agora nenhuma obra saiu do papel e os acidentes são praticamente diários. Está cada vez mais difícil atravessar a rodovia, devido ao intenso movimento.

Manifestação do secretário dos transportes

Na última semana um grupo de vereadores esteve em reunião com o secretário de transportes do Estado, deputado Juvir Costella e técnicos da EGR. O secretário, na última sexta-feira, também concedeu entrevista para a Rádio América. Costella disse que a questão da RSC 287 está sendo tratada com a EGR, a qual terá um novo presidente nos próximos dias. Já sobre a situação da ERS 411, que está com a obra parada fazem oito meses, diz que o planejamento é para retomar ainda em maio. “Muitas obras ficaram paralisadas por falta de recursos”, lamentou. “Além do perigo, obra parada representa desperdício do dinheiro público. Sabemos da responsabilidade do Governo e seremos incansáveis na busca dos recursos”, completou, durante o programa Redação 1270.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here