Contribuinte corrigiu declaração alegando erro de digitação - Crédito: Receita Federal

Um morador de Montenegro mantém 12 milhões de reais em sua residência. O fato foi divulgado em reportagem da Rádio Gazeta e do Portal Gaz, de Santa Cruz do Sul, publicada ontem, terça-feira, com base em informações da Receita Federal. Também foi noticiado que um morador de Santa Cruz do Sul guarda R$ 3 milhões em casa. Mas o montante que o montenegrino declarou que tinha em sua moradia é que chamou a atenção, ainda mais numa época em que, por questão de segurança e inflação, a maioria das pessoas costuma manter suas economias em contas bancárias.

Conforme a Receita Federal, que realizou a Operação Tio Patinhas, não existe ilegalidade em guardar dinheiro em casa, mesmo que seja um alto valor, mas desde que o dinheiro declarado no Imposto de Renda possa ser comprovado, nos quesitos existência, origem lícita e tributação correta. Nesta terça-feira, 36.860 gaúchos devem receber uma carta da Receita, via caixa postal eletrônica. Ao todo, esses contribuintes declararam R$ 8,6 bilhões em espécie. A ação faz parte da Operação Tio Patinhas. Todos os valores foram declarados na categoria “dinheiro em espécie – moeda nacional” na declaração do Imposto de Renda. O comunicado enviado pela Receita solicita que os contribuintes analisem as declarações para verificar possíveis divergências. Caso aconteça, deve ser entregue uma declaração retificadora. Caso não corrija, será chamado pela Receita e estará sujeito a multa. E se não comprovar a origem, estará sujeito a outras penalidades, além de investigação que pode ocasionar a retenção do recurso. O levantamento inclui apenas pessoa físico.

O Portal Gaz entrevistou o delegado da Receita Federal de Santa Cruz do Sul, que abrange também Montenegro. O auditor fiscal Leomar Padilha disse que não é comum guardar valor expressivo de dinheiro em casa, em razão dos riscos e porque a inflação vai deteriorando o capital. Mesmo assim, na área de 69 municípios da Delegacia, foram declarados R$ 579 milhões, por 2.645 contribuintes que mantém valores significativos em casa. Sobre o alto valor, de R$ 12 milhões, que um morador de Montenegro declarou ter em casa, o delegado da Receita disse que foi o “campeão” da declaração na área de 69 municípios. “É muito dinheiro para uma pessoa ter em casa. Não é normal e por isso da averiguação”, afirmou.

Multa de R$ 500 mil

Na área da Receita Federal de Montenegro, a estimativa é que, das cerca de 70 mil declarações, em torno de 1,5 mil tenham caído na malha fina. Chamou a atenção o caso de um profissional autônomo do município que foi multado em 500 mil reais por impostos não declarados, mais multas. A Receita fez o apontamento pelo fato de seus clientes terem declarado os pagamentos no imposto de renda.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here