Moradores chegaram a interromper a BR 386, perto da futura praça do pedágio - Reprodução/FN
O sábado pela manhã, dia 31 de agosto, mesmo com chuva, foi de protesto na localidade de Volta do Anacleto, em Montenegro. Os moradores organizaram uma mobilização na BR 386, junto ao ponto de acesso para a localidade e que será interrompido com a instalação da praça de pedágio prevista para o início do próximo ano.

Mesmo com chuva, os moradores levaram bandeiras, cartazes e faixas, chegando a interromper a rodovia. Em entrevista na Rádio América na última quarta-feira, as moradoras Patrícia Labres e Vera Schneider, juntamente com o ex-deputado estadual e ex-prefeito Paulo Azeredo, falaram que o acesso principal não pode ser fechado, pois do contrário terá que ser utilizado um outro caminho de cerca de 6 quilômetros, em chão batido, que fica alagado em caso de chuva, deixando as famílias ilhadas.

Várias reuniões já aconteceram buscando alternativas, como na igreja da comunidade e na Prefeitura. Na última quinta-feira teve também uma audiência na Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), em Porto Alegre. Já nesta quarta-feira o assunto também será tratado na Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa, na capital.

Os moradores estão indignados com o anúncio do fechamento do acesso através da Estrada Pedro Otto Ost, em função da instalação da praça do pedágio na BR 386, perto da divisa entre Montenegro e Nova Santa Rita. As obras no local já estão sendo realizadas pela empresa CCR Via Sul, que venceu a licitação para a concessão da rodovia. A justificativa para o fechamento é que o acesso fica junto ao rio Caí e deverá ser fechado como medida de segurança para evitar travessia e trânsito paralelo junto da praça do pedágio. Entretanto isso vai gerar transtornos e prejuízos para as famílias que moram faz muitos anos na localidade de Volta do Anacleto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here